Alexi Portela minimiza ausência da Fonte Nova na Copa do Nordeste: “Isso não vai pesar”

Com o retorno previsto para o próximo dia 21, a Copa do Nordeste, maior competição regional do Brasil, ajusta os últimos detalhes para a volta aos jogos após a paralisação por cerca de quatro meses devido à pandemia de Covid-19.

Tendo a Bahia como sede fixa da competição, como forma de evitar deslocamentos entre as equipes, o vice-presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela Júnior, entidade responsável pela organização o torneio, falou no programa “Isso é Bahia”, da Rádio A Tarde FM, na manhã desta segunda-feira, 13, dos desafios e a expectativa em meio a este cenário.

Elogiando o governo estadual e a prefeitura de Salvador em suas ações no combate à pandemia, Alexi explicou os motivos que levaram a escolha por Salvador como a sede para o retorno dos jogos. Recife e Fortaleza também eram cotadas para sediar as partidas. “Duas coisas: pela compreensão dos nossos governantes, tanto prefeito, como governador, na liberação; e também a taxa de infecção, a menor do Nordeste até o momento. Esses fatores pesaram muito na escolha”, disse.

Sem poder realizar jogos na Arena Fonte Nova após a recomendação do governador Rui Costa, por conta da presença do Hospital de Campanha no local, o vice-presidente da Liga disse entender a posição e que a decisão não será um problema.

“Claro que seria importante a presença da Fonte Nova, mas nós entendemos que tanto governador, como o prefeito tomaram a decisão correta de não realizar jogos lá. E como não teremos a presença de público em jogo nenhum, isso foi minimizado, tanto faz ser em um estádio ou em outro, isso não vai pesar”, avaliou Alexi Portela.

Coragem 

Questionado sobre a decisão pelo retorno da Copa do Nordeste, o dirigente ressaltou a importância da medida e classifica a atitude como corajosa. “Ninguém quis tomar essa atitude primeiro, um esperou o outro. E eu acho que nós, junto ao Governo da Bahia, brigamos por isso junto à CBF, para que fosse divulgado, que teríamos toda condição de voltar e fomos atendidos. Ninguém tinha coragem de tomar essa atitude, e nós, da Liga do Nordeste, acreditamos que a vida normal não vai voltar, só quando tiver a vacina”, explicou.

Ex-presidente do Vitória, Portela também comentou sobre a falta de inclusão dos atletas nos debates sobre o retorno das competições e disse faltar diálogo entre as partes: “Sendo sincero, eu acho que existe pouco diálogo. Mas, em alguns clubes, existem alguns jogadores que têm uma condição de discutir isso. Quando eu fui presidente do Vitória, o Ramon Menezes, Viáfara, alguns jogadores tinham a possibilidade de sentar e debater e entender a posição. Sempre fazíamos isso antes de se fazer uma reunião”. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook