AstraZeneca se recusa a participar de reunião com União Europeia

Foto: DAN HIMBRECHTS/EFE

A farmacêutica AstraZeneca se recusou a participar de uma reunião com autoridades da União Europeia marcada para esta quarta-feira (27) depois de atrasos na entrega de vacinas contra covid-19.

Na noite de terça-feira (26), o CEO da empresa, Pascal Soriot, deu uma entrevista e disse que a farmacêutica não tinha uma obrigação contratual com o bloco, mas um acordo de que “fariam o melhor” para entregar as vacinas.

Em agosto de 2020, a farmacêutica e a União Europeia fecharam um acordo que garantia que a empresa forneceria 300 milhões de doses ao bloco.

Apesar de não querer participar de uma reunião, a AstraZeneca terá que responder às perguntas da Comissária de Saúde da UE, Stella Kyriakides, e entregar mais informações sobre os projetos da empresa de liberar 60% das doses fabricadas para o bloco no começo de 2021.

A Comissão Europeia confirmou que eles possuem um acordo para fazer o melhor possível na entrega das vacinas, mas o bloco fez um contrato de compra antecipada com a empresa, que previa a obrigatoriedade na fabricação e entrega das doses.

A União Europeia já garantiu cerca de 2 bilhões de doses de vacinas de diferentes fabricantes, incluindo a AstraZeneca, mas por enquanto, depende da Pfizer e da Moderna para imunizar os grupos prioritários. Do R7.

Comentários no Facebook