Bahia muda perfil e aposta em nomes mais fortes para 2020

Foto: Reprodução

A brusca queda de rendimento do Bahia na reta final do Campeonato Brasileiro não passou batida pela diretoria do Tricolor. Organizado financeira e administrativamente e com a manutenção de Roger Machado no comando técnico, o time já tem se movimentado no mercado de transferências. E os objetivos estão definidos: contratar jogadores que tiveram bom desempenho na temporada de 2019, a baixo custo, para subir a qualidade do elenco; dar peças de maior qualidade técnica, para que o treinador implemente seu estilo de jogo. Resumindo: subir de patamar.

Prova disso é a mudança de perfil das contratações. Único jogador anunciado oficialmente até agora pela diretoria tricolor, o meia Daniel estava no Fluminense, time no qual era titular e foi um dos principais garçons no Brasileirão. E o novo status que o Esquadrão alcançou no futebol nacional ficou claro na negociação do atleta de 23 anos. Daniel recusou a renovação com o Tricolor das laranjeiras para fechar com o Bahia. A questão financeira pesou na decisão, já que o Esquadrão paga todos os seus compromissos em dia, e o Flu, assim como diversas outras agremiações, vai na direção oposta.

Os cartolas do tricolor baiano parecem mesmo querer aproveitar o ‘nome limpo’ que adquiriu na praça para angariar bons nomes para 2020, investindo principalmente em jogadores de equipes que estão com problemas financeiros. Um exemplo é o caso do meio-campo Alex Santana, que pertence ao Botafogo. O volante de 24 anos foi titular na Série A deste ano e fez 24 jogos.

O empresário de Alex, Renato Figueiredo, confirmou a sondagem do Bahia. “Sim, me procuraram (diretoria do Bahia). Passei para falarem direto com o Botafogo. Não posso falar mais para não atrapalhar (a negociação), se evoluir”, contou o agente.

Outro que também pode desembarcar em Salvador é o meia-atacante Thiago Galhardo, de 30 anos, destaque e artilheiro do Ceará no Brasileirão. Das 38 rodadas da competição, ele jogou 34. O empresário do atleta, Flávio Trivella, despistou sobre a negociação, mas não negou.

“Muitos clubes estão mostrando interesse, mas estamos tratando com cautela”, afirmou Trivella, que ainda revelou o interesse de Thiago em respirar novos ares.

Ou seja, dos três nomes citados, todos eram titulares em suas respectivas equipes. Situação que contrasta com o perfil do clube nas últimas décadas: jogadores reservas ou até encostados, os famosos refugos, ou jovens promessas buscando aparecer.

Para se ter uma ideia, a diretoria do Bahia fez um total de 22 contratações para o time principal neste ano. De todos os reforços, apenas três eram titulares em equipes de Primeira Divisão em 2018: Moisés (Botafogo), Ernando (Sport) e Douglas Augusto (Corinthians). Todos os outros, ou eram reservas, como Juninho e Guerra, ou foram apostas, como Ronaldo e Shaylon. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook