Bolsonaro diz que multas a igrejas são absurdas e quer PEC para isentá-las

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma série de publicações no Twitter na manhã desta segunda-feira (14/9), nas quais classificou como “absurdas” as multas às igrejas e disse ter sido “obrigado” a sancionar o fundo partidário de R$ 2 bilhões para partidos políticos financiarem as eleições.

O Diário Oficial da União desta segunda trouxe a sanção presidencial de dispositivo que confirma a isenção de contribuição previdenciária dos pagamentos feitos por igrejas a religiosos de diversas crenças. Além disso, o texto traz a anulação de multas impostas por esse motivo.

Bolsonaro também se disse “obrigado a vetar” trecho sobre isenção da contribuição por igrejas sobre o lucro líquido. Segundo ele, o motivo foi evitar um “quase certo processo de impeachment” por desobediência às leis de Diretrizes Orçamentárias e Responsabilidade Fiscal.

“Confesso, caso fosse deputado ou senador, por ocasião da análise do veto que deve ocorrer até outubro, votaria pela derrubada do mesmo”, disse sobre o veto que ele próprio assinou. Informações do Metrópoles.

Comentários no Facebook