Camaçari: Novo modelo de atendimento do HGC deve sobrecarregar as unidades de saúde do município

Foto: Ilustração

A partir desta terça-feira (1º), o Hospital Geral de Camaçari (HGC) só atenderá por meio da Central Estadual de Regulação. Com a medida os pacientes serão encaminhados a partir de outros hospitais e UPAs ou pelo SAMU 192.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) as demandas que não representem risco de morte devem buscar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde ou uma UPA. A tendência é que as unidades de pronto atendimento do município recebam uma maior demanda e sobrecarregue o serviço do município.

A mudança afetará diretamente os pacientes que necessitem de atendimento emergencial, que serão colocados numa espécie de fila até que sejam atendidos. O sistema, inclusive, foi muito criticado pelo candidato Zé Ronaldo (DEM) durante a campanha das últimas eleições gerais (2018), quando disputou com o governador e então candidato à reeleição Rui Costa (PT) a cadeira do executivo estadual.

Para a dona de casa Talita Marina, “o povo morre o tempo todo por causa dessa regulação, por falta de vaga, por lentidão nesse processo. Os idosos são os mais prejudicados, que, quanto mais enfermos e quanto mais de idade avançada, mas eles (regulação) não liberam vagas. A regulação, eu creio que é feita, justamente para esperar o óbito, óbvio que eles visam entre um idoso e um jovem precisando de uma vaga, vão dar preferência ao jovem; infelizmente a gente sabe que na maioria das vezes é isso o que acontece. Ainda tem a questão de sobrecarregar as UPAs”, declarou.

Na 15ª sessão da Câmara de Vereadores de Camaçari, realizada nesta terça-feira, o vereador Jackson Josué (PT), correligionário do governador, portanto, criticou o novo modelo de atendimento do HGC: “essa prática aí agora que o governo quer implantar, está errada, eu sou do partido dos trabalhadores, mas nós não podemos punir, não é só um município não, são 26 municípios (…)Mas não cabe essa forma que o secretário quer fazer, sem discutir com a secretaria, mas, principalmente discutir com a sociedade”.

O vereador aproveitou a oportunidade para criticar o fechamento da UPA do bairro da Nova Aliança, em Camaçari e ainda atribuiu a grande demanda do HGC à falta de atendimento preventivo nas unidades de saúde mantidas pelo município: ” 86% do atendimento daquele hospital é de pessoas de Camaçari, mas sabe porquê? Porque, casos que teriam que ser resolvidos na UBS, que teriam que ser resolvidos no PSF, infelizmente não conseguem a saúde de prevenção”, afirmou.

O vereador Elias Natan (PSDB) também teceu críticas à decisão do governo do estado e apontou uma possível sobrecarga no sistema municipal: “entendo que, se esse modelo, não discordo nem do modelo do paciente ser regulado no Hospital Geral, mas para ele (o sistema) ser implantado, nós teríamos que primeiro ter essa estrutura criada de leitos, principalmente retaguarda para pacientes clínicos, e essa alternativa seria viável com implantação, com inauguração do Hospital Metropolitano, ou seja, o Hospital Metropolitano que poderia fazer, seguramente, essa oferta, ele não foi ainda inaugurado; então, o sistema vai ficar estrangulado”.

E continuou: “na realidade, o estado deveria chamar os municípios que compõem essa rede de urgências e emergências para que eles pudessem já buscar alternativas e buscar adequação a essa nova realidade, porque o Hospital Geral de Camaçari não atende apenas o município e munícipes de Camaçari, mas também, de aproximadamente 20 municípios e esses munícipes de outras cidades, quando vêm ao hospital geral por entender que o hospital geral tem uma estrutura melhor do que encontram em seus municípios”.

“Uma vez chegando à porta do hospital não serão atendidos pacientes de outros municípios; esses pacientes não retornarão sem atendimento; eles, automaticamente irão para os nossos pronto atendimentos, o que vai sobrecarregar de forma muito gritante o atendimento do nosso município”, prevê Natan.

Veja o vídeo da sessão. O trecho citado nesta reportagem é a partir do minuto 32’30”:

https://fb.watch/26l3w4jIAv/

Vale lembrar que além de Camaçari, o HGC atende pacientes de outros 25 municípios vizinhos, informação enfatizada várias vezes por ambos os vereadores.

Comentários no Facebook