Camargo Corrêa Infra diz que não recebeu informações privilegiadas sobre licitação na Bahia

O Consórcio liderado pela Camargo Corrêa Infra não recebeu quaisquer informações privilegiadas para participar da licitação do Tramo 3 do Sistema Metroviário Salvador-Lauro de Freitas.
 
Em 2018, a CCR, como operadora da Linha 1, poderia implantar o Tramo III sem a realização de uma licitação pública, e consultou empresas do setor para conduzir as obras. Esses estudos e projetos (desenvolvidos independentemente pela CCR) foram licitamente enviados à Camargo Corrêa Infra (dentre outras empresas), e eram distintos, em inúmeros pontos, do anteprojeto efetivamente licitado.
 
A implementação do projeto diretamente pela CCR em 2018 não foi efetivada, da mesma forma como a licitação do mesmo tramo pelo Governo da Bahia em 2016 foi cancelada (muito embora os estudos e projetos já tivessem sido disponibilizados a todos os concorrentes).
 
A existência e a autoria de diversos estudos e projetos de engenharia já foram objeto de análise pelo Governo da Bahia, sendo completamente rechaçadas quaisquer irregularidades, de forma correta e irrefutável. 
 
Trata-se claramente de mais uma manobra que tem como único objetivo atrapalhar a contratação da obra do metrô, prejudicando a população com especulações infundadas.

Fonte: Camargo Corrêa infra

Comentários no Facebook