Caso Flordelis: pastor Anderson sabia de plano para matá-lo, diz MP

Relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sobre o caso Flordelis aponta que o pastor Anderson do Carmo, que foi assassinado, sabia de plano elaborado por filhos para matá-lo e, por isso, chegou a ameaçar grampear celulares da família. O documento foi obtido pelo jornal O Dia.

De acordo com os apontamentos, o pastor teria descoberto que Marzy, uma das filhas adotivas do casal, teria oferecido R$ 10 mil para o irmão, Lucas dos Santos, para realizar a ação. Lucas está preso desde 17 de junho, um dia após o assassinato do marido da deputada.

O documento faz parte da primeira fase das investigações do Ministério Público e já foi enviado ao Tribunal de Justiça. Até o momento, Lucas e Flávio dos Santos são os únicos indiciados por homicídio qualificado.

Novo depoimento
A Polícia Civil escutou uma das médicas plantonistas que prestou atendimento a Anderson no Hospital Niterói D’Or, no dia do assassinato. Segundo ela, Flordelis chegou à unidade de saúde após o pastor já ter dado entrada na emergência.

Passando mal, a parlamentar teria feito questão de contar que passou o dia em casa com o marido e os filhos, fez almoço e só saiu da residência à noite, por insistência do pastor, para comemorar o Dia dos Namorados. As informações são do Metrópoles.

Comentários no Facebook