Cesta Básica de Salvador tem terceira maior variação do país em fevereiro

Foto: Ilustração

Salvador tem a terceira maior variação mensal no valor da Cesta Básica, com 5,05% no mês, ficando atrás de Fortaleza e Recife, com variações de 6,83% e 6,15%, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, divulgada nesta quinta-feira, 4.

O balanço é realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em 17 capitais brasileiras. Desse total, 10 tiveram aumento custo do conjunto de alimentos essenciais.

Entre as 7 capitais com redução no custo da cesta, destacam-se Porto Alegre, com -2,02%, Vitória, -2,47%, e Campo Grande, -2,75%. A capital com a cesta mais cara, em fevereiro, foi São Paulo, no valor de R$ 519,76, seguida pelo Rio de Janeiro, R$ 505,55, e Florianópolis, R$ 493,15.

Já os menores valores médios da cesta foram observados em Aracaju, custando R$ 371,22, Salvador, R$ 395,49, e João Pessoa, R$ 403,98. Em relação ao primeiro bimestre de 2020, a capital baiana apresenta a maior elevação, de 9,70%, seguida de João Pessoa, 8,14%, Fortaleza, 6,77%.

A alta na cesta básica de Salvador se dá pelo aumento no preço em 6 dos 12 produtos pesquisados. A alta no mês de fevereiro foi puxada, especialmente, pela variação de 44,53% no preço médio do tomate.

Outras altas registradas na capital baiana foram nos preços médios da banana (5,78%), do açúcar (4,82%), do arroz (3,35%), do óleo de soja (3,30%) e do café (0,76%). Já as quedas de preço foram registradas na manteiga (-2,08%), na farinha de mandioca (-2,05%), na carne (-1,92%), no leite (-1,00%), no feijão (-0,48%) e no pão francês (-0,10%). Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook