Com explosão de casos, sistema de saúde entra em colapso em abril, diz ministro

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, apresenta na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, informações sobre as políticas e diretrizes de sua pasta, bem como a proposta de extinção do Programa Mais Médicos.

ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou que a curva de transmissão do novo coronavírus deve se iniciar nos próximos 10 dias, com rápida subida no número de casos entre os meses de abril, maio e junho. De acordo com Mandetta, no final de abril o sistema público de saúde brasileiro pode entrar em colapso. 

“Claramente, em final de abril nosso sistema de saúde entra em colapso. Colapso é quando você tem dinheiro, mas não tem onde entrar (nos hospitais)”, afirmou Mandetta, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Eles participam de videoconferência, nesta sexta-feira (20), com empresários sobre medidas de enfrentamento ao coronavírus.

O ministro afirmou, ainda, que a previsão para a queda da curva de infecção se dará apenas em setembro, mantendo durante  cinco meses a alta transissão do coronavírus no país. 
“A gente está modelando para ver se trabalhamos com algumas interrupções, segurando o máximo dos idosos que são quem leva ao colapso do sistema”, afirmou Mandetta sobre possíveis medidas de contenção dos casos. O ministro da Saúde prevê que a maioria dos pacientes infectados – entre 80 e 85% – precisarão apenas de orienteção médica e de tomar um antitérmico. O restante (15%) precisaria de intenação, o que significaria uma sobrecarga. No cálculo de Mandetta, cerca de 5% dos casos necessitarão de leito de CTI.  Informações do Estado de Minas.

Comentários no Facebook