Comunidade do Parque Verde se junta para criar horta coletiva

Moradores do bairro do Parque Verde, em Camaçari, se juntaram para fazer uma ação que vai beneficiar toda a comunidade. Em um mutirão, eles se juntaram para limpar o terreno com propensão enorme a se tornar um criadouro do mosquito Aedes Aegypti. A propriedade era usada como depósito de lixo, entulho e animais mortos, e o lugar agora vai se torar uma horta comunitária.

Foto: Reprodução Redes Sociais

No local, os moradores vão poder plantar e cuidar das hortaliças, que servirão para uso da própria comunidade. Dona Liece Alves, a idealizadora do projeto, fala da importância de poder cultivar alimentos saudáveis em conjunto com os vizinhos:“ se a gente souber dividir, todo mundo leva um pão para casa, agora, se um quer mais do que o outro, não pode, tem que ser dividido, (…) nós todos somos irmãos. Se você precisa de comer, eu preciso de comer, o outro precisa de comer, então vamos dividir, não é você ficar sem o pão, é você saber dividir o pão para todos comerem”.

Dona Liece Alves plantando as primeiras sementes – Foto: Reprodução

Como nasce a ideia

A ideia de fazer a horta na comunidade, surgiu há cinco anos, desde que dona Liece se mudou para o bairro. Ela conta que após sua chegada, percebeu que o terreno baldio e cheio de lixo, poderia causar problemas de saúde para a própria vizinhança, e procurou saber quem era o proprietário. Mas a ideia só foi posta em prática há três meses. E com a ajuda do líder comunitário Maurício Arithan, eles pediram autorização na prefeitura, já depois de acertar a ocupação com o dono da propriedade:” eu postei no grupo. Eu disse assim: quem é que poderia ajudar para fazer uma horta comunitária e chegar até os donos para pedir autorização? não é que queremos o terreno, queremos o espaço para pôr uma horta comunitária, porque, uma horta, a gente colhe rápido, mais ou menos um mês, dois meses, já está colhendo a horta, aí Maurício abraçou essa causa e disse: dona Liece, vamos ver”, contou.

Foto: Reprodução Redes Sociais

“Aí ele foi, eu nem sabia ainda, mas ele já estava correndo por trás e já tinha ido, procurou os donos, os donos autorizaram e tudo bem. Aí Maurício foi na prefeitura, conseguiu (autorização e equipamentos) para limpar o terreno, e graças a Deus, nós estamos já bem iniciados. Só falta dar um plana e jogar terra para fazer horta”, continuou dona Liece.

“Nossa vontade é que esse projeto se amplie para todo o município fazendo com áreas que sejam produtoras de doenças, cobras, ratos, entre outras doenças, venham a trazer produtos naturais para a comunidade. Um projeto com a participação de todos, basta ter um tempo durante a semana para cuidar da sua horta: uma hora em um dia, é o bastante para produzir produtos naturais”, completou Maurício Arithan.

Dona Liece respira solidariedade

Ela exaltou ainda, o gesto do proprietário de autorizar o uso do terreno e doar equipamentos para cercar:” o próprio dono deu arame, deu a madeira, ele mesmo; ele gostou, ele abraçou a causa também; porque o terreno dele não fica parado. E, quem sabe um dia, ele não vai doar para a gente fazer uma instituição para fazer cursos para a comunidade?”, sugere.   

Como vai funcionar

A princípio a iniciativa vai atender apenas o pessoal da comunidade. E os moradores que quiserem ajudar na execução dos serviços e do plantio, devem entrar no grupo que foi criado com essa finalidade, e podem fazer doações de sementes, adubos, insumos ou até mesmo com o trabalho.

A horta vai ser totalmente natural, sem nenhum produto tóxico e o grupo vai definir um cronograma para colheita e distribuição, que deve acontecer pelo menos duas vezes por semana, sob a responsabilidade de algumas pessoas:” vai ficar uma, duas ou três pessoas com a chave do portão, porque se der a todo mundo, vai ter bagunça, chega lá quebra a horta, não sabe tirar, arranca o pé; então, tudo é isso aí: cuidado. E nós vamos cuidar. Nós vamos dar, mas vamos cuidar, e para cuidar não é todo o mundo que sabe cuidar”, afirmou.

Moradores preparam a terra para receber as primeiras sementes – Foto Reprodução

“É por isso que eu digo: a comunidade toda se reunirem, juntarem e fazer alguma coisa pelo seu bairro e reúne um, não pode ir tanta gente, reúne um grupo, chega até a prefeitura e vai reivindicar o que queremos para o bairro”(sic).

Eu quero lançar essa ideia para toda Camaçari

A ideia da horta comunitária é um projeto que pulsa no coração de dona Liece, que ela já pensa em expandir por toda a cidade. O desejo dela é multiplicar as hortas comunitárias nos pontos onde haja terrenos baldios e com lixo, onde o dono da propriedade não esteja usando:” eu quero lançar essa ideia para toda Camaçari, onde tiver terreno baldio que não tenha dono usufruindo, que doe, mas não é para doar só para a horta não, é para a gente ser o dono, é só para tirar o lixo, lixo causa doença, rato, é tanto inseto, (…) aqueles copos descartáveis plásticos que ficam lá e empoçam água. Se a gente não fizer a nossa parte, quem vai fazer? Ninguém”, finalizou.

Veja os vídeos das primeiras sementes sendo plantadas:

Comentários no Facebook