Contra o Imperatriz, Bahia vai em busca do 1º triunfo no Nordestão

Foto: Felipe Oliveira/ ECB

Apenas um dia de treino, viagem de Recife para Salvador, pouco tempo de recuperação e pressão pelo primeiro triunfo na Copa do Nordeste. Essa é a situação atual do Bahia, que empatou na tarde do último sábado, com o Santa Cruz, no Arruda, se apresentou na segunda-feira, 27, e entra em campo nesta terça, 28, às 20h, em Pituaçu, contra o Imperatriz, pela segunda rodada do torneio.

Por outro lado, o elenco principal do Tricolor tem como motivação o fato de fazer sua primeira partida do ano como mandante, com o apoio do torcedor nas arquibancadas. O goleiro Anderson, que vai substituir Douglas, expulso na última rodada, falou da missão de assumir a titularidade.

“A expectativa é sempre a melhor possível, a gente vem trabalhando firme e forte. Eu já não jogo há bastante tempo. Mas isso não me atrapalha, porque eu me dedico, eu trabalho muito e tem a questão da experiência, que ajuda. A vida é feita de oportunidades. Eu cheguei aqui com um contrato de três meses e falei que ia ficar aqui por mais de cinco, seis anos. Já são quatro, quase cinco. E é dar continuidade, botar o Bahia no seu devido lugar, e pra isso a gente almeja a Libertadores”, falou.

Anderson também aproveitou para falar sobre a queda de rendimento do time na partida de estreia, principalmente na segunda etapa, e do pouco tempo para a recuperação adequada dos atletas. Mas o goleiro afirmou que nada pode atrapalhar a busca pelo triunfo no jogo desta terça.

“Acho que, vendo de fora, tudo fica fácil. Mas para quem tá dentro é complicado. O que Roger [Machado] pediu na preleção foi para a gente achar os espaços falados por ele. Só faltou o gol, o goleiro do Santa Cruz foi muito bem, quem assistiu ao jogo sabe. A gente deu aquela baixada no nível porque é começo de temporada, e até o próprio Santa Cruz, que já estava na terceira partida, sentiu cãibra, puxando perna, e a gente em pé. É exaltar o trabalho de Paulo Paixão [preparador físico]. Mas agora nós temos que vencer, porque estamos em casa”, afirmou.

Caso não tivesse criado o time de aspirantes para poder disputar o Campeonato Baiano e, consequentemente, dar uma aliviada no puxado e desumano calendário, o Bahia, além de sábado, teria jogado no domingo, além desta terça. Ou seja, seriam três jogos em quatro dias. O goleiro criticou a proximidade das partidas, mas falou que não adianta, no momento, reclamar.

”É ruim pra gente essa sequência de jogos, porque fica um jogo atrás do outro. Se fosse quarta e domingo, a gente conseguiria, a cada domingo… Mas o que a gente quer mesmo é jogar, treinar. Roger puxa pra caramba a gente aqui, então, a hora de jogar é a hora de mostrar o espetáculo que a torcida quer ver e, se Deus quiser, a gente vai sair vitorioso”, projetou Anderson.

Meia lesionado

Fora dos treinamentos da pré-temporada devido a um estiramento em um ligamento do pé, o meia Marco Antônio será submetido a um procedimento cirúrgico. A informação foi confirmada pelo médico do Bahia, Luiz Sapucaia. O tempo de repouso estimado é de 30 dias. “É uma lesão pequena, mas que, em termos de dor, tem uma representatividade grande. A gente optou por operar”, disse Sapucaia.

Novato

Adversário desta terça do Bahia, o Imperatriz, do Maranhão, tem apenas 58 anos de fundado. Essa é somente a segunda participação da equipe na Copa do Nordeste. E o Cavalo de Aço, como é chamado no estado, estreou bem no torneio. Venceu o CRB, por 2 a 1, em casa, no estádio Frei Epifânio, e é o líder do Grupo B, com três pontos, empatado com o Confiança; mas está na frente no quesito gols pró (2 a 1).

No Nordestão de 2016, saiu na fase de grupos, com apenas quatro pontos, sendo uma vitória por 3 a 2 em cima do ABC, um empate com o Salgueiro-PE e quatro derrotas, o que lhe rendeu a última colocação no Grupo A. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook