Covid-19: Quem deve usar e quando usar máscara? Máscara artesanal pode?

Foto: Ilustração

O coronavírus pegou todos de surpresa, desde que começou a se espalhar desordenadamente pelo mundo, começando pela China, mudou a rotina de todo o planeta. E, pelo menos, a cada hora do dia, somos bombardeados com inúmeras informações sobre medicamentos eficazes contra a Covid-19, cuidados para evitar o contágio, notícias descontextualizadas, falsas, informações seguras no rádio, na tv e em outros canais de mídia.

E o uso do álcool em gel; lavar as mãos com água e sabão; evitar aglomerações em locais públicos; manter distância de pelo menos um metro das pessoas; ficar em casa; o uso de máscara, são algumas das recomendações que as autoridades sanitárias têm feito para evitar a contaminação em massa.

Esses dias fui ao mercado, e a cena me pareceu um tanto espantosa quando encontrei algumas pessoas na rua, e inclusive no próprio mercado, usando máscaras. Em outra situação, me deparei com um cidadão saindo de um mercadinho, com uma máscara no rosto e com uma caixa com pelo menos vinte máscaras, daquelas que se usam em construções civis. Dá um certo pavor. Mas, quando e quem será que deve usar esses equipamentos?

Em meio ao pavor que se espalha, como uma chama que segue um fio de líquido inflamável, (e nem é para menos, levando em consideração o número de infectados e mortos a nível mundial) é importante saber qual o público deve fazer uso desse equipamento, em especial, até mesmo para evitar desabastecimento para quem realmente necessita.

De acordo com o infectologista Ivan Marinho, do Hospital Leforte, em São Paulo, em entrevista ao portal Uol, “o uso da máscara só é justificado se você estiver com algum sintoma respiratório, pois aí evita que as gotículas que venham de tosse ou do espirro sejam espalhadas no ambiente”,

Ele diz ainda que o uso da máscara não tem serventia nenhuma se a pessoa não apresenta esses sintomas “pode até facilitar a contaminação, já que muitas pessoas colocam mais a mão no rosto na tentativa de ajustar o acessório”.

As pessoas assintomáticas, ou seja, aquelas que podem estar infectadas, mas não apresentam sintomas, de acordo com a matéria, não devem usar máscaras, pelo fato de não estarem tossindo ou espirrando. O que se recomenda nesse caso é o isolamento para evitar que o vírus se espalhe.

E sobre os tipos de máscaras, você sabe qual deve usar?

Dois tipos comuns do equipamento têm sido bastante procurados: a máscara cirúrgica, descartável e produzida com tecido e a outra, com maior durabilidade e usada com mais frequência até mesmo fora de ambientes hospitalares, a N-95.

O especialista recomenda ainda que máscaras produzidas com garrafas pet’s e sacolas plásticas não devem ser usadas, por não terem nenhuma comprovação científica, além de serem propensas a provocar sufocamentos e outras doenças respiratórias.

Máscaras de tecido, produzidas em casa, como tem se espalhado pela internet, muita gente fabricando esses materiais com tecidos comuns, também devem ser evitadas. Além dos lenços de tecido, que não devem ser usados como máscaras.

De acordo com o infectologista Leonardo Weissmann, conselheiro da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), o tecido não impede a propagação do vírus no ambiente: “Além disso, a modelagem feita sem medidas específicas contribui para que o ajuste no rosto seja ruim, deixando a pessoa em risco de qualquer maneira”, avalia o infectologista.

Não devem ser lavadas as máscaras, para reuso. Segundo a publicação, a matéria-prima usada no equipamento é alterado quando lavada, onde ela perde funções de proteção. A máscara N-95 pode ser reutilizada, de acordo com a Anvisa, em caso de carência de insumos, desde que ela tenha sido retirada para evitar a contaminação.

A máscara está na categoria de lixo hospitalar, portanto, deve ser descartada corretamente. O médico pneumologista Elie Fiss, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, disse que esse descarte deveria ser feito em locais específicos, mas como não acontece dessa forma, ele faz recomendação de como descartar corretamente para evitar auto contaminação: “o correto é retirar a máscara, evitando contato com a parte da frente e colocá-la em um saco plástico. Jogue em uma lixeira fechada e lave as mãos com água e sabão imediatamente após o descarte, evitando tocar em qualquer superfície”

Para quem é saudável e não apresenta nenhum sintoma, não é necessário usar a máscara, apenas seguir as recomendações básicas das autoridades sanitárias, que são: lavar sempre as mãos com água e sabão; usar álcool em gel; evitar contato com outras pessoas na rua; manter distância de pelo menos um metro das pessoas; evitar abraçar; pegar na mão; beijar; ficar em casa, enfim seguir as orientações que estão a todo o tempo no nosso cotidiano que não devem ser ignoradas.

*Da Redação com informações do Uol.

Comentários no Facebook