Em apenas 13 dias, Camaçari registra 22 homicídios; o mais recente aconteceu no Gravatá

Foto: Ilustração (Reprodução /Redes Sociais)

José Fernando, de 36 anos, assassinado no inicio da noite desta segunda-feira (13) na rua Marte II, no Bairro do Gravatá, é o vigésimo segundo morto na jurisdição de Camaçari (BA), no mês de abril de 2020, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia – SSP/BA.

Foto: Reprodução

22 assassinatos em 13 dias para uma população de 300 mil habitantes, deixa a taxa de homicídio de Camaçari, nesses dias, seis vezes maior do que a média do Brasil, que foi de 114 mortes por dia, para 200 milhões de habitantes em 2019.

Três vezes maior do que a taxa de homicídios esse ano no Ceará, durante o motim dos policiais, que nos primeiros 25 dias de fevereiro de 2020, morreram 364 pessoas, cerca de 15 assassinatos por dia, para 9 milhões de habitantes.

Para engrossar as estatísticas, além dos mortos, teve mais duas tentativas de homicidio em Camaçari nesses 13 dias, e um bebezinho chegou a ser atingido com sangue que espirrou de um dos mortos.

Entre as vítimas há uma criançada de 5 anos, que morreu de bala perdida em Areias, localidade do distrito de Vila de Abrantes, durante troca de tiros entre grupos rivais, e um adolescente de 13 anos, morto porque estava perto do alvo dos assassinos.

As autoridades, o Ministério Público, e toda a sociedade, precisa urgentemente debater e encontrar uma solução para esse problema da violência que tomou conta de Camaçari. Informações do site Compartilha Bahia.

Comentários no Facebook