Em rápida sessão, vereadores aprovam a construção do Centro de Convivência do idoso

Em um clima tranquilo, a 19ª Sessão ordinária do primeiro semestre de 2019, realizada na manhã desta quinta-feira (6), aprovou diversas matérias.

Entre as propostas, a construção do Centro de convivência do idoso em Monte Gordo, defendida pelo vereador Rui Magno (DEM).

“Essa indicação, eu entendo, de grande necessidade, pois nós temos aí, uma orla extensa, temos, hoje, uma população crescente, que é a população do idoso. E Monte Gordo, realmente precisa, eu não tenho dúvida nenhuma que teremos o apoio de todos, e nós precisamos dar apoio aos idosos da costa de Camaçari, portanto, Monte Gordo necessita e muito, desse Centro de Convivência do Idoso”, defendeu.

A indicação também foi defendida pelo vereador Vaninho da Rádio (DEM), representante daquele distrito: “Eu tenho feito vários atendimentos móveis, inclusive com o gabinete itinerante, e a gente percebe a população idosa, ela está necessitando desse apoio, desse amparo, inclusive para fazer suas atividades lúdicas, suas atividades de exercício, de acompanhamento, e direcionamento, e eu venho aqui irmanar com o senhor e com os nossos pares nessa luta, nessa campanha para nós termos esse Centro de acolhimento na comunidade de Monte Gordo”, discursou.

O vereador Jackson Josué (PT), proponente da indicação de número Nº289/2019, defendeu a proposta de instalação de uma sinaleira na rotatória do Ficam, na Praça da Lua, na Radial B. Em defesa da sua indicação, o vereador questionou ao presidente da casa sobre o posicionamento contrário à aquisição das sinaleiras no passado, quando foi solicitado, sob a justificativa de ser muito caro:” Estou vereador há seis anos, e tem sido uma luta árdua do nosso mandato tentar essa sinaleira ali na Praça da Lua. Ali, senhor presidente, diversas vezes, acidentes, e acidentes fatais já aconteceram, lembro-me que vossa excelência, ainda vereador de oposição, o senhor falou da questão de umas sinaleiras que a STT estava tentando comprar, e o senhor falou que era um absurdo o valor daquela sinaleira e que no mercado existia sinaleira no valor de R$900,00. Aí peço a vossa excelência, como presidente desse poder, tentar junto à STT, que nós, moradores daquela região, queremos aquela sinaleira de R$900,00 ali, que é uma necessidade, espero que o governo atenda a demanda, não do vereador Jackson, e sim da população de Camaçari”.

Em reposta, o vereador Jorge Curvelo, subscreveu a matéria do seu oponente e justificou sua posição naquela ocasião: ”Subscrevo também a matéria, e digo ao vereador Jackson, que à época, quando me coloquei contra a instalação das sinaleiras, é porque a STT havia feito – quando o superintendente era o senhor Taroba –, uma licitação no valor de R$ 26 milhões para a compra de sinaleiras, e chegou a afirmar aqui, que gastaria apenas R$ 2 milhões para instalar dez sinaleiras,  que à época, achei um absurdo, e me posicionei contra”, justificou.

Na área de infraestrutura, dez propostas estiveram em pauta, entre elas, os vereadores aprovaram a construção de uma praça pública, na Avenida Industrial Urbana, a indicação foi da vereadora Cristiane Bacelar (PRB). Duas indicações foram aprovadas na área da saúde: uma de autoria do vereador Dedeu (PTB), que solicitava uma ambulância permanente na Unidade de Saúde da Família de Catu de Abrantes e a outra proposta foi do vereador Adalto Santos que pedia a promoção de campanha permanente de conscientização e combate da depressão no município.

Comentários no Facebook