EUA rejeitam proposta de Putin para renovar pacto nuclear

O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Robert O’Brien, rejeitou nesta sexta-feira (16) a proposta do presidente da Rússia, Vladimir Putin, de prorrogar por pelo menos um ano o New Start, o último tratado de controle de armas entre Moscou e Washington, por pelo menos um ano.

O’Brien rejeitou a proposta por não incluir o congelamento mútuo dos arsenais nucleares, algo que Washington havia exigido para chegar a um acordo.

“A proposta de hoje do presidente Putin de estender o New Start sem congelar ogivas nucleares torna-o inviável”, disse O’Brien no Twitter.

Segundo o assessor, Washington havia proposto a prorrogação do New Start por um ano em troca de um congelamento mútuo dos arsenais nucleares, e esse acordo aparentemente chegou perto de acontecer durante uma das últimas rodadas de negociações em Genebra, em 2 de outubro.

“Acreditávamos que os russos estavam dispostos a aceitar esta proposta quando me encontrei com meu homólogo em Genebra”, disse O’Brien, que considerou a proposta americana uma “vitória para ambos os lados”.

“Os EUA levam a sério o controle de armas que manterá o mundo seguro. Esperamos que a Rússia reavalie sua posição antes de uma dispendiosa corrida armamentista”, acrescentou.

Renovação travada

Washington e Moscou conversam desde junho para substituir ou renovar o pacto e, embora pouco progresso tenha sido feito, nesta semana o negociador americano Marshall Billingslea anunciou um “princípio de acordo” que agora parece ter expirado.

O New Start (“novo começo”, em inglês), assinado em 2010, limita o número de armas nucleares estratégicas, com um máximo de 1.550 ogivas e 700 sistemas balísticos para cada uma das duas potências, em terra, no mar ou no ar. O acordo poderia ser prorrogado por cinco anos, até 2026, segundo a ideia de Putin.

“Tenho uma proposta, ou seja, prorrogar o atual acordo sem condicionantes por pelo menos um ano, a fim de poder fazer negociações substanciais sobre todos os parâmetros dos problemas regulados por acordos desse tipo”, disse o presidente russo durante reunião com membros do Conselho de Segurança odmpaís.

Putin argumentou que o propósito de sua iniciativa é “não deixar nossos países (Rússia e Estados Unidos) ou todos os países interessados em manter a estabilidade estratégica sem um documento tão fundamental como o Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Novo Start)”. Da Agência EFE.

Comentários no Facebook