Famílias de motoristas assassinados receberão indenização de R$ 100 mil

Foto: Reprodução

As famílias dos motoristas de aplicativo que foram assassinados em um chacina que aconteceu na última sexta-feira, 13, no bairro de Santo Inácio, em Salvador, irão receber uma indenização de R$ 100 mil das empresas Uber e 99 Pop.

O acordo foi anunciado pelo presidente do Sindicato de Motoristas por Aplicativo (Simactter-BA), Átila Santana, e confirmado pela 99 Pop. Alisson Silva Damascena dos Santos e Genivaldo da Silva Félix já estão confirmados como motoristas parceiros da empresa.

Outro parceiro da 99 é o motorista N. S. V., único sobrevivente da chacina. Ele foi torturado, mas conseguiu fugir por um matagal e acionar a polícia. Ele não irá receber a indenização.

O presidente do Simactter-BA afirmou que N. S. V. não consegue trabalhar e deveria receber o seguro. Ele também sinalizou que o jurídico do sindicato entrará com uma ação na justiça para que o motorista também seja indenizado.

“Ele saiu sexta-feira para trabalhar para poder fazer as suas compras. O trabalhador foi torturado, viu os amigos dele morrer. A pessoa não tem condição de voltar a trabalhar depois de passar por esse trauma psicológico. O nosso jurídico vai para cima, vamos buscar dar uma assistência, fazer uma vaquinha junto a categoria para ajudar a manter ele, até que a justiça seja feita”, afirmou.

Por meio de nota, a 99 pop informou que “assim que a empresa soube desse caso na sexta-feira (13), mobilizou uma equipe especializada para buscar contato com familiares das vítimas e N., o que foi feito no sábado (14) e domingo (15). Além do acolhimento emocional nesse momento de profunda dor, a plataforma está realizando os procedimentos para acionamento de um seguro pessoal que cobre todas as corridas do aplicativo”.

O Portal A Tarde entrou em contato com a Uber, mas até o fechamento desta matéria não recebeu nenhuma resposta. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook