Funcionários da Fresca se queixam que estão sem receber salários há 3 meses

Fresca, empresa engarrafadora de água mineral, localizada em Dias D’Ávila, foi interditada pela vigilância sanitária na última segunda-feira(6), depois de ser notificada pelo Ministério Público do Estado, por crimes contra o meio ambiente, sonegação fiscal e contra a relação de consumo.

Alguns funcionários estão sem receber salário desde janeiro nos procuraram informando os descasos: “A última vez que a gente recebeu foi em janeiro, aí passou fevereiro, passou março, e nada, sem receber. Aí já vamos entrar para São João, e nada”, declarou uma colaboradora.

“Eu estava trabalhando na empresa Fresca, e há três meses não recebo. Já tenho três férias vencidas”, relatou outra funcionária.

Segundo os funcionários que preferiram não se identificar, a empresa não emitia nota fiscal para o material que saía da loja, por esta razão teria sido interceptada pela Secretaria da Fazenda: “a Sefaz fechou (a empresa) por que os caminhões estavam saindo sem nota (fiscal), aí, de uma hora para a outra parou. Mas a gente já estava a aproximadamente um mês sem receber, afirmou.

De acordo com os relatos, nem mesmo os funcionários demitidos, receberam os pagamentos atrasados. Um deles relatou que está vivendo momentos difíceis: “Estamos passando dificuldades! Trabalhei cinco anos nessa empresa, e preciso dos meus direitos”,

Ainda segundo os funcionários, a empresa foi procurada para dar baixa nas carteiras de colaboradores, que já encontraram outros trabalhos, mas eles se recusam, sob a justificativa de que a empresa fechou:  “Eu estou querendo dar baixa na minha carteira para ir para outra empresa, mas eles dizem que não tem como porque a empresa está fechada”, relatou outro funcionário.

“A empresa Água Mineral Fresca está há quatro meses sem pagar, e eles não querem dar baixa na nossa carteira. Muita gente está arrumando emprego e eles não querem dar baixa na carteira, ficam dizendo que vai pagar o salário e nada. A última vez que a gente recebeu o salário foi em janeiro. Muita gente que mora de aluguel, a gente trabalha e quer receber nosso salário! Socorro dona fresca paga o povo!”, reforçou outro colaborador.

Eles relataram ainda que o sindicato, que acompanhou os trabalhadores depois do fechamento da distribuidora, orientou para que eles aguardem a reabertura da empresa. A empresa havia informado que depois do feriado reabriria, mas não cumpriu com a promessa.

Não conseguimos contato para saber o posicionamento da empresa em relação as várias queixas dos funcionários.

Comentários no Facebook