Gestores escolares participam de formação com foco na proteção aos estudantes

Na manhã desta terça-feira (19/3), foi realizada a Formação sobre Violação dos Direitos das Crianças e dos/as Adolescentes e o papel da escola na Rede de Proteção Local aos gestores escolares, no Centro de Integração e Apoio ao Trabalhador (CIAT). Este foi o primeiro encontro, de uma formação que ocorrerá durante o ano, para apresentar à temática e ouvir o que os diretores pensam.

Segundo a facilitadora e gerente de implementação de projetos na Bahia da Plan International, Sara de Oliveira, a formação foi para sensibilizar os gestores sobre a importância da formação dos professores e das equipes da escola. O que ocorreu “dentro do que a gente chama de círculo do cuidado, que são todas as pessoas que lidam com a criança e com o adolescente na escola. Para elas saberem identificar possíveis formas de violência, como encaminhar e como apoiar essa criança, adolescente e sua família”, afirmou.

Como resultados da formação, serão criados os protocolos e o fluxo da Rede de Proteção. Para que a escola compreenda qual é o seu papel dentro da rede e como ela deve encaminhar cada caso de violação que aconteça, não só na escola, mas que seja trazida ao contexto escolar.

A iniciativa faz parte da pré-jornada pedagógica, então nesse momento ocorre a reunião de todos os gestores para colocar foco nas temáticas que serão prioritárias em 2019, para na jornada, na admissão escolar, quando encontrarem os professores, eles possam dar cobertura a essa discussão dentro das escolas.

O tema foi proposto, segundo a secretária de Educação, Neurilene Martins, por “entendermos que a escola em um espaço prioritário para se construir essa rede de proteção de crianças e adolescentes, na relação com as violências, com os abusos que se multiplicam na sociedade como um todo. Então, é preciso que os educadores possam refletir e definir condutas e encaminhamentos protocolares que sejam capazes, no cotidiano da escola, de dar cobertura a esses assuntos que colocam em jogo a vida das crianças”.

Para a gestora da Escola Municipal Professora Laurita Ribeiro Souza, Yuri Watanabe, “a formação, além de maravilhosa, é super pertinente, ainda mais em um momento que a população se arma de ódio e as crianças são colocadas de lado nas suas necessidades e fragilidades. A Seduc nos brinda com uma formação justamente de combate e tratamento de violência nas unidades escolares”.

A palestra ajudou a gestora do Colégio Municipal São Tomaz de Cantuária, Roquilda Oliveira Santos. Segundo ela, a unidade tem o índice de vulnerabilidade social grande e “hoje recebemos uma formação que trata das necessidades básicas do colégio, que a gente vivencia no dia a dia e que muitas vezes não temos condições de lidar por não saber por onde começar e a quem recorrer. Estamos felizes em saber que vamos agir em rede”.

Jornada Pedagógica – A Jornada Pedagógica acontece nos dias 11 e 12 de abril com o tema Compreender para Transformar: a escola e seus currículos. Nesse período, essa mesma palestra será ministrada para os não docentes, como merendeiras, vigilantes e auxiliares de disciplina.

Na oportunidade e com muita comemoração, a secretária de Educação, Neurilene Martins, fez alguns anúncios aos presentes. O primeiro deles foi que, na última segunda-feira (18/3), a Seduc recebeu 25 mil livros de língua portuguesa e matemática, do 2º ao 9º ano, e a distribuição será assim que encerrar a matrícula.

Os mais festejados foram: a conclusão da licitação de impressão do Referencial Curricular Municipal – Anos iniciais do ensino fundamental, que terá 2 mil cópias, e é importante para dar norte a metodologia de Camaçari e foi feito pelos educadores; e os Diários Pedagógicos que estão prontos, só aguardando também o encerramento das matrículas para a entrega.

Este ano também serão elaborados os referencias da Educação Infantil e dos Anos Finais. Além disso, os educadores farão vídeos de formação e os cadernos de formação dos professores. Todas as escolas passarão por reformas, que dentro do planejamento ocorrerá em até seis meses.

Alimentação Escolar – A titular da Seduc ainda falou da inclusão do arroz integral e do açúcar mascavo na alimentação escolar, retirada dos embutidos e que está em estudo a alimentação para as crianças que tem restrições.

Exames – Serão realizadas ainda duas campanhas, com foco no Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além de receber o resultado, por sala e por escola, do diagnóstico de língua portuguesa (já tem o de matemática), para auxiliar no trabalho.

Editais – As aberturas de dois editais marcam o mês de março. O de fanfarras locais, que vão trabalhar na formação de fanfarras escolares e com prioridade no ensino fundamental II. E o edital para contratação através do Regime Especial de Direito Administrativo (REDA) de professores substitutos, cuidadores educacionais, transcritores do Sistema Braile, intérprete de línguas de sinais e monitores musicais.

Comentários no Facebook