Governo pretende montar “cinturão de triagem” ao coronavírus no interior do Estado

O governador Rui Costa explicou nesta terça-feira (24) que o estado pretende montar o “cinturão de triagem” para casos do novo coronavírus no interior do estado. Sem dizer a localização destes centros, o governador explicou que utilizará 13 Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) e um Pronto Atendimento (PA) instalado em Lauro de Freitas.

Esta última unidade recém-concluída deve ser destinada ao atendimento de pacientes do covid-19 neste momento. “Os prefeitos concluíram as obras mas não tiveram recursos para abrir as UPA’s. Vamos abrir essas unidades e formar uma espécie de cinturão de triagem”, explicou durante entrega de unidade básica de saúde no bairro de San Martin.

Nesses locais, pacientes com dificuldades respiratórias receberão atendimento. Caso apresentem melhora, serão liberados para retornar para casa. Caso contrário, o indivíduo será encaminhado para uma unidade hospitalar em uma UTI móvel.  Rui explicou o motivo pelo qual o Estado optou por não instalar leitos para atendimento exclusivo a doença no interior.

“Queremos ter hospitais exclusivos para atendimento ao coronavírus. Se você trata um paciente com coronavírus perto de outros enfermos o índice de contaminação dos profissionais de saúde torna-se relativamente alto”, explicou. Ele acrescentou que a medida também busca resguardar pessoas com outros problemas de saúde. 

Seguindo essa estratégia, o Estado está analisando uma ampliação do Hospital Couto Maia. O tamanho das instalações provisórias – assim com a definição da quantidade de novos leitos – ainda não foi definido, mas existe a previsão de que 60 ou 70 novas vagas. Atualmente, a unidade conta com 52 leitos exclusivos para atendimento ao covid-19.

Atualmente, o Hospital do subúrbio está com sua emergência fechada e uma construção provisória deve ser erguida para ampliar sua capacidade. O governador também disse que em 15 dias o Hospital Espanhol estará pronto para uso, com 80 novos leitos garantidos. “A equipe está visitando o Espanhol hoje para tentar ampliar mais 40 leitos de UTI. Assim, nós teríamos 120 leitos”, informou.

O estado também está em processo de negociação com o Hospital Salvador, localizado no bairro da Federação, e deve fechar a contratação da unidade para utilização durante a crise ainda hoje. Já no interior, o governador disse que iniciou um processo de diálogo com um hospital particular de Vitória da Conquista para torná-lo exclusivo para tratamento ao vírus.

“Em Caetité, tem um hospital especializado em oncologia que estamos concluindo a ordem. Mas nesse período, nós vamos fechá-lo para atendimento ao coronavírus se for necessário”. 

O governador também disse que em reunião com os responsáveis pelo Hospital Metropolitano foi definida uma intensificação no processo de construção da unidade para viabilizar a entrega da unidade em 40 dias. Serão 104 leitos de UTI, que durante a crise do covid-19 serão destinados ao tratamento dos diagnosticados com a doença. 

Algo semelhante deve acontecer com o novo prédio do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana.  “É a primeira vez que a gente faz tanto investimento e espera não precisar utilizar”, concluiu. Informações do Bnews.

Comentários no Facebook