Indústria automotiva da Bahia espera um 2020 estável

Complexo Industrial Ford Nordeste em Camaçari. Foto: Alberto Coutinho/GOVBA

A indústria da Bahia não acompanhou a retomada da economia nacional e fechou 2019 com queda de produção (-2,9%), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O setor automotivo, uma das indústrias fortes da Bahia, tem uma expectativa estável para 2020 devido às condições atuais de negociação com a Argentina, principal comprador de carros do Brasil.

Ricardo Kawabe, Gerente de Estudos Técnicos da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) explicou que a relação comercial de carros entre a Bahia e a Argentina é nebulosa. “A expectativa é de crescimento do mercado interno, mas as perspectivas com o mercado externo, mais especificamente na Argentina, principal importador dos automóveis fabricados na Bahia, continuam nebulosas. Desse modo, a produção local deve ficar relativamente estável em 2020, até que haja o lançamento de novos produtos”.

Ano passado foi assinado um contrato automotivo entre Brasil e Argentina prevendo que em dez anos haverá livre comércio de carros entre os dois países estipula uma nova regra de comércio pela qual as exportações de um país para o outro não pode ultrapassar uma vez e meia do valor que importa do outro. É chamado sistema flex do acordo.

Pelo novo acordo, essa relação irá aumentando até chegar a três vezes. Ou seja, as exportações de um país podem exceder em até três vezes as importações. Mas a partir de janeiro de 2029, estabelece-se o livre comércio, sem qualquer limite para importações e exportações entre os dois países. Informações do Portal Bahia Econômica.

Comentários no Facebook