Italianos identificam mutação que possibilitou contágio de coronavírus em humanos

Pesquisadores italianos conseguiram identificar a mutação genética que possibilitou o contágio de seres humanos pelo coronavírus. O estudo foi liderado pela equipe de estatísticas médicas e epidemiologia molecular da Universidade Biomédica de Roma e foi publicado no Journal of Clinical Virology, conforme reportagem do Estadão.

O grupo de pesquisa estudou as sequências genéticas do vírus e reconstruiu as mutações até descobrir a alteração que permitiu o ataque humano pelo vírus que até então era típico de animais. Segundo o responsável pelo estudo, Massimo Ciccozzia, a mutação aconteceu entre 20 e 25 de novembro do ano passado.

O pesquisador ainda pontuou que a mutação ocorreu em uma proteína de superfície chamada ‘spike’, utilizada pelo vírus para se multiplicar. O grupo acredita que, a partir daí, a epidemia começou a se espalhar.

Comentários no Facebook