João de Deus e dois guias são denunciados por crimes sexuais

João de Teixeira de Faria, 77 anos, terá a 12ª denúncia por crimes sexuais apresentada na tarde desta segunda-feira (13) à imprensa. Além dele, outros dois guias que realizavam os transportes de fiéis para Abadiânia – e circulavam livremente pela Casa Dom Inácio de Loyola – também foram incluídos.

Segundo o Ministério Público de Goiás (MP-GO), a denúncia foi revertida ao Judiciário no último dia 26 de dezembro. O documento envolve duas vítimas e os estupros de vulneráveis foram cometidos entre janeiro de 2009 a janeiro de 2011.

João de Deus está preso desde 16 de dezembro de 2018 após diversas denúncias de crimes sexuais. De lá para cá, ele teve habeas corpus negados, uma fazenda invadida por integrantes do Movimento Sem Terra (MST) e Movimento Camponês Popular (MCP), abandono de advogados do caso e até mesmo duas condenações: uma de quatro anos, em regime aberto, no caso de posse ilegal de armas de fogo e a 19 anos de prisão por crimes sexuais – sendo a primeira por esse tipo de crime.

Ambas as decisões são da juíza Rosângela Rodrigues, da Comarca de Abadiânia. Na última delas, a magistrada afirmou que dois crimes são por violação sexual mediante fraude e os outros dois por estupros de vulneráveis.

João de Deus sempre negou os crimes. Mesmo preso, o médium continuava a lucrar com a rede internacional que atrai diversos turistas à Casa, segundo uma reportagem da IstoÉ! A revista Veja também mostrou que João de Deus continua fazendo ‘milagres’ dentro da cadeia. Informações do Portal Mais Goiás

Comentários no Facebook