Jornalistas da Veja são detidos na Bahia durante apuração do caso Adriano da Nóbrega

Foto: Veja.com/ Reprodução

Dois jornalistas da revista Veja foram detidos pela polícia baiana na manhã desta sexta-feira, 14. De acordo com publicação do site da revista, o repórter Hugo Marques e o repórter fotográfico Cristiano Mariz foram parados quando tentavam localizar o fazendeiro Leandro Abreu Guimarães, considerado testemunha-chave para esclarecer as circunstâncias da morte do ex-capitão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Adriano da Nóbrega. Abreu é o fazendeiro que deu abrigo ao ex-capitão no município de Esplanada e uma das últimas pessoas a vê-lo com vida.

A dupla tentava entrevistar o fazendeiro, mas foram cercados por duas viaturas. Abordados, os profissionais se identificaram e exibiram suas credenciais de imprensa. No entanto, os policiais, com armas em punho, determinaram que os dois saíssem do carro, levantassem as mãos e abrissem as pernas para serem revistados.

“Como é que vocês descobriram esse endereço?”, teria questionado um dos soldados insistentemente. Em seguida, o gravador do jornalista foi apreendido. Ainda de acordo com o site da revista, os jornalistas receberam a ordem de seguir as viaturas até o distrito policial de Pojuca, onde o gravador foi devolvido. Um agente teria informado que a detenção se deu por medida de segurança: “Eles estavam parados em frente à residência de uma testemunha desse caso aí”.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) esclareceu o ocorrido:

A Secretaria da Segurança Pública esclarece que moradores de uma localidade em Pojuca, Litoral Norte da Bahia, ligaram para polícia informando que homens, dentro de um carro, Gol, placa de Belo Horizonte, estavam rondando a região. A PM foi acionada, abordou o grupo e fez a condução até a Delegacia Territorial. Após se identificarem como jornalistas, foram liberados. Nenhum equipamento foi danificado, alterado ou ficou apreendido. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook