Julgamento de Geddel no caso dos R$ 51 milhões será retomado no dia 1º

Foto: Reprodução

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar nessa terça-feira (24) o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB), no caso em que malas com R$ 51 milhões foram achados em um apartamento em Salvador. O julgamento foi suspenso e deve ser retomado somente na próxima sessão, no dia 1º de outubro.

Nas sustentações orais, a Procuradoria-Geral da República defendeu que Geddel seja condenado e continue preso – ele está na penitenciária da Papuda, em Brasília, desde setembro de 2017.

O caso em questão trata de um suposto esquema de pagamento de propina para concessão de empréstimo pelo Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), administrado pela Caixa. Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco durante o governo de Dilma Rousseff (PT).

O político responde por lavagem de dinheiro e associação criminal. Os mesmos crimes foram imputados ao irmão dele, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB), e a mãe, Marluce Vieira Lima. Completam os réus o ex-assessor Job Ribeiro Brandão e o empresário Luiz Fernando Machado da Costa.

A Procuradoria pediu também que Geddel seja condenado por danos morais coletivos, assim como Lúcio, no total de R$ 42 milhões e mais de US$ 2 milhões.

O dinheiro estava em um apartamento de Geddel e foi achado guardado em malas e caixas em setembro de 2017. Foram mais de 14 horas para contar tudo, no que é a maior apreensão da história do país, segundo a acusação. Informações do Correio*.

Comentários no Facebook