Justiça bloqueia R$ 3 mi de Cafu por suposto envolvimento em esquema de pirâmide

Foto: Reprodução AFP

O ex-jogador Cafu, capitão da conquista do pentacampeonato do Brasil teve R$ 3 milhões e bens bloqueados por suposto envolvimento em uma pirâmide financeira. A informação foi divulgada nesta sexta-feira pelo Uol.

A decisão foi tomada pelo juiz Aureliano Albuquerque Amorim, da 4ª Vara Cível de Goiânia, após ação do Ibedec-GO (Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo), que inclusive já processou Ronaldinho Gaúcho no passado.

No processo é apontado que Cafu é embaixador da empresa Arbcrypto, que oferecia aos seus membros um rendimento de 2,5% por dia em bitcoins. No entanto, o valor deixou de ser repassado aos clientes, que entraram com a ação. Cafu é citado no processo, ao lado dos empresários Alexandre Cesario Kwok e Eneas Tomaz.

“Eles já estavam dando como investimentos perdidos, até porque os sócios da empresa já saíram do país. Entramos com a ação na tentativa de reaver os direitos dos investidores porque o caso se assemelha com todos os esquemas de pirâmide conhecidos”, disse ao “o advogado Fernando Barbosa, representante de 25 clientes envolvidos no caso ao Uol. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook