Laudo: voz que liberou entrada de ex-PM não é de porteiro que citou Bolsonaro

Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou, nesta terça-feira, 11, a conclusão do laudo sobre o áudio na portaria do condomínio Vivendas da Barra, em 14 de março de 2018, dia do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

De acordo com o documento, a voz do porteiro que liberou a entrada do ex-PM Élcio de Queiroz não é a do funcionário que mencionou o presidente Jair Bolsonaro aos investigadores da Delegacia de Homicídios (DH).

Em depoimento, no ano passado, um dos porteiros disse que Bolsonaro tinha liberado a entrada de Élcio. Depois, ele voltou atrás. Agora, a perícia no áudio da portaria, iniciada em 13 de janeiro deste ano, confirmou que foi um outro funcionário que interfonou para o policial reformado Ronnie Lessa, morador do condomínio e vizinho de Bolsonaro.

Ainda segundo o laudo, o áudio da portaria não sofreu qualquer tipo de edição e que a pessoa que autorizou a entrada de Élcio no condomínio foi Lessa. Tanto Élcio quanto Lessa estão presos sob a acusação de terem cometido o crime. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook