Mais de um ano após eleição, nova reitora do Ifba será empossada hoje(10)

A nova reitora do Ifba, Luzia Mota, é professora titular da instituição desde 1994 (Foto: André Almeida/IFBA)

A nova reitora do Instituto Federal da Bahia (Ifba), Luzia Mota, será empossada hoje (10). A posse, considerada simbólica pela instituição, deve começar às 16h, na reitoria da instituição, no Canela. 

Além da reitora, serão empossados os pró-reitores de ensino do Ifba, Philipe Murillo Carvalho; de extensão, Nivea Cerqueira; e de pesquisa, Jancarlos Lapa, além dos diretores gerais eleitos de 17 campi.

A posse da nova reitora vai acontecer mais de um ano após ter sido eleita. O processo eleitoral em que a professora foi escolhida com 32,2% dos votos válidos foi realizado no dia 13 de dezembro de 2018. Os resultados foram divulgados no dia 19 de dezembro de 2018. 

A nomeação da professora Luzia foi feita por meio de decreto no 23 de dezembro do ano passado, pelo Ministério da Educação (MEC). Ela recebeu o Termo de Posse no dia 31 de dezembro de 2019, mais de um ano após a divulgação dos resultados das eleições. 

Em dezembro, inclusive, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), que integra o Ministério Público Federal (MPF), questionou o MEC sobre a demora na posse da reitora. Na ocasião, a procuradora federal Deborah Duprat solicitou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, que apresentasse os motivos para a demora no processo. 

Ensino de Ciências
Professora titular do IFBA desde 1994, a reitora Luzia Mota tem como áreas prioritárias de ensino, extensão e pesquisa: educação profissional, particularmente, na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Rede Federal), nas interseções com os estudos sociais da ciência e tecnologia; política públicas; desenvolvimento regional; e gestão democrática em instituições públicas.

Ela tem doutorado em difusão do conhecimento pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), mestrado em ensino de Ciências Naturais e Matemática, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e licenciatura em Física pela Ufba.

Na sua trajetória profissional, também é possível destacar sua participação como fundadora do Grupo de Pesquisa em Educação Científica e Tecnológica (Gpet), do Ifba, e como coordenadora da implantação do primeiro Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional Científica e Tecnológica do Ifba, que reúne o curso de especialização em educação científica e tecnológica e o Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT). Informações do Correio.

Comentários no Facebook