Morre aos 93 anos, conselheiro do Vitória, Benedito Dourado

Conselheiro do Vitória, o senhor Benedito Dourado da Luz, faleceu aos 93 anos. Benedito sofria de Alzheimer fazia algum tempo. Seu corpo foi cremado na tarde deste domingo (28), no cemitério Jardim da Saudade. A missa de corpo presente foi celebrada às 15h30 na Capela E.

“Doutor” Benedito, como era carinhosamente chamado, tem uma história de amor profunda com o Vitória, e por muito tempo foi um colaborador inestimável e conselheiro. “Não diga que ajudei, senão não dou mais nada”, costumava dizer quando fazia doações ao clube.

O complexo esportivo do Vitória, englobando o Estádio Manoel Barradas, concentração Vidigal Guimarães, Centro de Treinamento Manoel Pontes Tanajura e a Toca do Leão, leva o seu nome por iniciativa do atual presidente Paulo Carneiro, conduzido ao clube pelas mãos de Benedito, que viabilizou o seu primeiro mandato em 1991.

Benedito nunca exerceu cargo no clube. Sempre foi, isto sim, um conselheiro/colaborador presente, que atuando nos bastidores procurava manter a união dos rubro-negros. Foi ele o responsável ao liderar junto com outros conselheiros influentes, entre eles Manoel Tanajura, Alfredo Miguel, Vidigal Guimarães, Alexi Portela, a compra do terreno da família Paiva Lima, onde é hoje a Toca do Leão. Apoiou a montagem do time nas campanhas dos títulos estaduais de 1972 e 1980.

Foi remador do EC Vitória quando passou a morar em Salvador, vindo de São Félix, cidade do interior do Estado. Um homem fidalgo, de gestos simples, mas coração grande.

Bené, para os mais próximos, deixa viúva Maria Lúcia Aragão da Luz, quatro filhas, netos e bisnetos.

Sua morte entristece a família rubro-negra, notadamente, os mais antigos. Benedito Dourado da Luz nasceu em 5 de julho de 1925.

Comentários no Facebook