MP-BA investiga delegada Maria Selma; procedimento corre sob sigilo

A representação encaminhada ao Ministério Público estadual (MP-BA), relativa à delegada de Polícia Civil Maria Selma Pereira Lima, já está sendo investigada pelo Grupo de Apoio Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público estadual (Gaeco). Ela está sendo acusada de atos ilícitos nas redes sociais, conforme declarou o secretário de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, nesta terça-feira (8/9).

Por meio de nota à imprensa, o MP-BA informou que a investigação está na fase de análise da documentação apresentada pela representante e das diligências iniciais para verificar a procedência das informações. Após essa investigação preliminar, todos os envolvidos serão chamados para depor.

O procedimento corre sob sigilo, não sendo possível o fornecimento de outras informações neste momento, de modo a não atrapalhar a investigação e assegurar o êxito na adoção das medidas que se façam necessárias. 

EXONERAÇÃO

Maria Selma, que dirigia o Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) e uma das agentes da Polícia Civil, foi exonerada da última sexta-feira (4/9). Tanto o nome dela quanto de outros 12 delegados constam na lista publicada no Diario Oficial. 

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, ela avisou que não pretende sair da vida policial para outra carreira. “Eu continuo sendo delegada e vou voltar. Então, se eu não conseguir a minha aposentadoria, eu vou voltar, porque eu gosto muito do que eu faço”.

A ex-diretora comentou, entretanto, que já havia saído do cargo há cerca de dois meses. “Que repercussão que deu esse caso, porque fui exonerada da diretoria. Mas não é isso, gente, eu já estou de licença premium desde julho, então só agora que eu fui exonerada. Ninguém pode permanecer em um cargo que não esteja desempenhando suas funções”, explicou.

A delegada ficará afastada, inicialmente, até o mês de janeiro de 2021. “Eu, depois que contrai o coronavírus, em junho, me recuperei e voltei a trabalhar por poucos dias e logo pedi a minha licença premium. Eu tenho seis meses de licença premium juntando com férias”, comentou. “Estou descansando pq eu trabalhei muito e essa última missão de diretora da SSP exigiu muito de mim, mas eu fiz um bom trabalho, tenho certeza isso”, argumentou. 

Agora, o cargo de delegado titular da DCCP fica a cargo de Marcelo Simões Tannus. Via Aratu on.

Comentários no Facebook