MP-BA pede à Justiça prisão domiciliar para idoso que matou companheira em condomínio de luxo na Bahia

Foto: Reprodução/ TV Bahia

O Ministério Público Estadual (MP-BA) pediu à Justiça a prisão preventiva, com conversão em domiciliar, do companheiro da idosa Tarcila Maria Brandão Barreto, de 74 anos, encontrada morta em um condomínio de luxo, em Salvador. Ele foi preso pelo crime e, na segunda-feira (19), a Justiça determinou a internação dele. No entanto, o MP-BA afirmou ao G1 nesta quinta-feira (22) que é contrário à decisão.

Ainda de acordo com o Ministério Público, o pedido da prisão preventiva foi feito na terça-feira (20), “por se tratar de pessoa idosa e considerando o contexto da pandemia da Covid-19”.

Na solicitação, conforme explicou o órgão, a promotora de Justiça Isabel Adelaide requereu a prisão para “garantia da ordem pública e aplicação da lei penal”, considerando o risco de reiteração da conduta do homem.

Além disso, ela também pediu a instauração de incidente de sanidade mental.

Por fim, o MP-BA disse que a promotora discordou da decisão que determinou a internação provisória de Nilton Barreto, “por não haver ‘lastro técnico’ que indicasse a insanidade de Nilton e a aplicação do internamento”.

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) afirmou nesta quinta que deu o prazo de cinco dias, contados a partir de quarta-feira (21), quando a solicitação do MP-BA foi protocolada, para que a defesa do idoso se manifeste sobre os requerimentos formulados pelo Ministério Público Estadual.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Caso

Crime aconteceu em condomínio de luxo em Salvador — Foto: Reprodução/ TV Bahia
Crime aconteceu em condomínio de luxo em Salvador — Foto: Reprodução/ TV Bahia

O crime ocorreu na tarde de domingo (18). A vítima era empresária do ramo imobiliário e foi encontrada morta com golpes de faca, em uma casa do condomínio Aphaville Itapuã, que fica na região da Avenida Paralela. O companheiro dela foi preso em flagrante e autuado por feminicídio no mesmo dia.

Segundo a Polícia Civil, quando o corpo foi encontrado, o crime já tinha mais de 24 horas. No entanto, a data exata em que a idosa foi morta vai ser apontada pela perícia.

De acordo com o documento enviado pela Justiça para o G1, na segunda, o corpo da mulher foi achado ensanguentado em um sofá pelo neto dela de 16 anos, enquanto o suspeito do crime estava dormindo em uma cama do imóvel com a camisa e a bermuda sujos de sangue. Uma faca foi achada no chão, próxima de onde estava o casal.

Após ser encontrado no local pela polícia, o homem foi encaminhado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde declarou que não se lembrava do que aconteceu, mas que “presume que cometeu o crime pois acordou com as roupas sujas de sangue” junto ao corpo da esposa.

Tarcila Maria Brandão Barreto foi enterrada no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador,  na segunda-feira (19). — Foto: Laila Nery / TV Bahia
Tarcila Maria Brandão Barreto foi enterrada no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador, na segunda-feira (19). — Foto: Laila Nery / TV Bahia

De acordo com a Justiça, o filho do casal contou à polícia que o pai já fez tratamento psiquiátrico e, há oito anos, tentou estrangular a idosa que gritou por socorro. Ela chegou a viajar para São Paulo, onde ficou por um mês. Mas, em seguida, voltou a morar com o homem.

Diante dos fatos, a Justiça pediu a internação dele, na segunda. Também nesse dia, Tarcila Maria Brandão Barreto foi enterrada no Cemitério Bosque da Paz. Vários familiares e amigos estiveram no local, mas não falaram com a imprensa. Informações do G1.

Comentários no Facebook