MP denuncia acusado de participar de chacina de motoristas de Apps

Foto: Nicolas Melo

O Ministério Público estadual (MP-BA) denunciou nesta terça-feira, 21, Benjamim Franco da Silva Santos, vulgo Amanda ou Franklin, pela participação na chacina de quatro motoristas dos aplicativos “Uber” e “99”, no dia 13 de dezembro. A ação criminosa aconteceu na localidade Paz e Vida, na região dos bairros de Jardim Santo Inácio e Mata Escura, em Salvador.

Segundo a denúncia do MP, Benjamim, que é integrante da facção criminosa Bonde do Maluco (BDM), em companhia de um menor de 17 anos, atraiu cinco motoristas de aplicativos para o local da execução criminosa.

Junto com Jeferson Palmeira Soares, vulgo Jel, liderança da facção BDM; Antônio Carlos de Carvalho, vulgo Nonon; e Marcos Moura de Jesus, eles assassinaram quatro motoristas. À exceção de Benjamim, todos os integrantes da quadrilha estão mortos.

Vingança

No dia do crime, uma das vítimas conseguiu fugir do local da execução por meio de um matagal. Segundo o promotor de Justiça Davi Gallo, o crime foi motivado por vingança. “No dia anterior, Jeferson teria efetuado chamada para diversos motoristas com o objetivo de socorrer um parente, mas as corridas não foram aceitas em razão de tratar-se de local violento e inseguro, e a pessoa que seria socorrida veio a óbito”. A versão de represália havia sido descartada pela polícia no momento da apresentação do criminoso.

Emprego de violência

Benjamim foi denunciado pelo homicídio dos quatro motoristas qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa das vítimas, além de roubo qualificado, associação criminosa e os dispositivos da Lei de Crimes Hediondos (Lei nº 8.072/90).

Davi Gallo registrou que “o bando agia em caráter estável e permanente, fortemente armados, com arma de grosso calibre, com divisão de tarefas preestabelecidas, visando a prática dos mais variados crimes, com emprego de grande violência contra pessoas, patrimônio e tráfico de entorpecentes”.

O MP pediu também a decretação de prisão preventiva de Benjamim, que atualmente encontra-se custodiado na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Salvador. Informações do Portal A Tarde.