Mulher cai da janela ao tentar escapar de incêndio no Hospital Badim

Incêndio atinge prédio do Hospital Badim, no bairro do Maracanã, zona Norte da cidade - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Uma mulher que acompanhava idosa internada no terceiro andar do Hospital Badim despencou da janela ao tentar fugir do incêndio com uma corda feita de lençóis. Com a queda, ela fraturou os dois tornozelos e vai passar por cirurgia. As chamas atingiram parte do hospital particular do Rio de Janeiro na noite dessa quinta-feira (12/09/2019) e foram controladas na madrugada desta sexta-feira (13/09/2019). Até o momento, onze pessoas foram encontradas mortas.

“Eu tentei pular do terceiro andar. Tô toda quebrada, no chão”, disse Gigiane dos Santos em entrevista à TV Globo.

Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil
CELSO PUPO/FOTO ARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Fernando Frazão/Agência Brasil
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: WILTON JUNIOR/ESTADAO CONTEÚDO

Segundo o marido, Leonardo Santos, a mulher tentou pular a janela quando a fumaça tomou conta do local. “Eles estavam tentando sair, mas falou que já estava muito escuro, muita fumaça. Não estavam conseguindo sair e se aproximaram da janela para pedir socorro”, falou. “Fizeram uma corda com lençol, ela jogou a mochila pela janela, pediu ajuda e não sei se ela perdeu as forças, mas caiu”, continuou.

Gigiane acompanhava a paciente Maria Alice Teixeira da Costa, de 76 anos. O paradeiro da idosa é desconhecido. A filha Tânia Ferreira disse já ter percorrido outros hospitais do Rio em busca de informações.

“Minha mãe está sumida, eu não sei onde ela está. Ninguém sabe dar informação nenhuma”, relatou. “Eu preciso achar minha mãe. Pelo amor de Deus. Se alguém souber, eu agradeço”, implorou.

O marido de Gigiane se mostrou preocupado com a cirurgia da mulher e fez um apelo sobre o paredeiro da idosa. “O mais importante agora é ela [esposa] operar e a gente conseguir informações sobre a dona Maria Alice”, disse ao BandNews TV. Via Metrópoles.

Comentários no Facebook