Na semifinal contra o Confiança, Bahia defende favoritismo

Finalista em 2018, Clayson quer fazer história e conquistar a Copa do Brasil pelo Bahia (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Relacionar-se com vizinhos virou uma tarefa necessária desde que o ser humano passou a se organizar em sociedade. Ainda assim, a cortesia e a cordialidade nem sempre estão presentes nessa convivência. É o caso da relação do Bahia com equipes de Sergipe. Em oito confrontos de mata-mata na história, o Esquadrão avançou em todas as oportunidades contra adversários do estado vizinho (confira os jogos no serviço abaixo).

Nesta quarta-feira, 29, às 19h30, no estádio Pituaçu, o Tricolor entra em campo querendo manter esse tabu intacto. O rival é o Confiança, contra quem o Bahia já jogou 16 vezes por competições oficiais e tem retrospecto positivo. São 12 vitórias, dois empates e apenas duas derrotas, sendo a última delas em 2006. Um dos triunfos foi, inclusive, na fase de grupos do Nordestão deste ano, quando o Esquadrão venceu por 1 a 0, na Fonte Nova.

Os resultados desde a retomada do futebol são outro ponto favorável ao Bahia. Considerando Copa do Nordeste e Campeonato Baiano, o Tricolor venceu três vezes e perdeu apenas uma (com time alternativo) em quatro partidas.

O Dragão de Sergipe, por outro lado, ainda não venceu em nenhum campeonato. São três empates em três jogos. Nas quartas de final do Nordestão, contra o Santa Cruz, se classificou nos pênaltis, após 0 a 0 no tempo normal.

É bom ficar de olho

Apesar dos fatores que indicam favoritismo ao Bahia, o time treinado por Roger Machado ainda deve respostas. Após a atuação brilhante contra o Náutico, o jogo contra o Botafogo-PB, pelas quartas de final, deixou uma pulga atrás da orelha do torcedor.

Depois de um apagão no segundo tempo, após sair vencendo por 2 a 0, o Esquadrão viu a arbitragem anular, equivocadamente, o gol que daria o empate ao rival. Na sequência, Fernandão, impedido, marcou o terceiro do Bahia e garantiu a vaga na semifinal.

Além disso, mesmo que o Confiança não esteja na melhor fase, foi a sensação da fase de grupos do Nordestão, terminando como líder do Grupo B, o que lhe garantiu a melhor campanha de sua história. Anteriormente, o Dragão nunca tinha passado da fase de grupos do torneio.

Centenário

Uma das armas para o Bahia no jogo desta quarta é Fernandão, já que Gilberto está machucado e não jogará. Será a centésima partida do centroavante com a camisa do Bahia, time pelo qual marcou 33 vezes.

Contratado no início de 2019 como a principal esperança de gols, Fernandão não teve um bom ano, e virou reserva. Porém, a volta do futebol é vista pelo atleta como um reinício. Será a terceira partida seguida dele com o time considerado principal. Já são dois gols em dois jogos.. “É importante para o atleta ter sequência”, afirmou Fernandão, em entrevista coletiva.

Desfalques

Além de Gilberto, o Bahia terá o desfalque de Gregore, que testou positivo para a Covid-19 pela segunda vez. Seu substituto deve ser Ronaldo, que fez gol contra o Botafogo-PB. Rossi, que vem de estiramento muscular, pode ficar no banco, mas ainda é dúvida. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook