No Barradão, Vitória e Bahia disputam liderança do Campeonato Baiano

Foto: Felipe Oliveira / Divulgação E.C Bahia

Pense em um evento com estrutura precária, atrações pouco conhecidas e doidas para sair do submundo, os amplificadores cheios de ruídos, os microfones falhando, ingressos baratos, mas aliado a tudo isso muito improviso, emoção e cenas inesquecíveis que ficarão para sempre marcadas na memória. E é nesse contexto underground – guardadas as devidas proporções – do futebol que acontecerá o clássico Ba-Vi, neste domingo, 1º, às 16h, no estádio Barradão, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Baiano.

Tudo que bem a estrutura não é precária, muito pelo contrário, é de ótima qualidade, mas os jogadores, esses sim, ainda são pouco conhecidos de suas respectivas torcidas e estão em busca de um lugar ao sol na carreira, ou melhor, em busca de uma chance no time principal de seus respectivos clubes. Para se ter uma ideia, essa será a primeira vez na história que Bahia e Vitória farão o clássico, no profissional, com elencos sub-23.

E o confronto tem tudo para ser emocionante, já que o Tricolor é o líder do Baianão, com 11 pontos, e o Rubro-Negro é o segundo colocado, com os mesmos 11 pontos, porém perde no saldo de gols: 5 a 3. Ou seja, o jogo vale a liderança isolada da competição, além de ser uma ótima chance de os, até aqui, sonhadores mostrarem serviço para os técnico Geninho e Roger Machado e, que quem sabe, deixar o underground do futebol e se tornarem os novos astros da bola.

Talentos do Leão

Se por um lado o cenário underground se afasta das melhores estruturas e organizações, por outro, é fonte reveladora de muitos talentos. Encontrar essas joias era justamente a ideia do Vitória ao apostar em um time de aspirantes no Baianão

Ainda longe de serem classificados como “joias”, Nuno, Caíque Souza e Eron chegam para o clássico como os destaques do Leão até aqui. O primeiro pelo papel defensivo, o segundo pela criação de jogadas, e o terceiro pelos gols marcados.

Nuno é o principal jogador do sistema defensivo. Começou ao lado de Dedé e agora forma dupla de zaga com Carlos, já que seu parceiro anterior deixou a desejar. Aos 21 anos, está bem credenciado para ser integrado ao time principal no futuro.

A situação é semelhante com a de Caíque Souza, outro jogador de 21 anos que deve servir á Geninho na Série B do Brasileiro. O atacante ainda não balançou as redes, mas tem sido o principal criador de jogadas do Vitória ao atuar aberto pelo lado esquerdo do ataque.

Dos três, Eron é quem mais cria expectativa no torcedor, e quem também tem melhor aproveitado Baianão para chamar atenção de Geninho. Ele é vice artilheiro do estadual, com três gols em cinco jogos.

No conjunto da obra, o ‘lado B’ do Vitória ainda não empolgou o torcedor, mas tem no clássico deste domingo uma boa chance para chegar lá.

Apostas do Esquadrão

Para o clássico, o técnico tricolor Dado Cavalcanti só tem uma dúvida para montar o time. O meia Ramon, um dos destaques do time, está se recuperando de dores no pé, não treinou durante a semana e é dúvida para a partida. Caso ele não reúna condições de jogo, o volante Yuri de ser o escolhido para ficar com a vaga.

O atacante Gustavo, que também tem chamado a atenção pelo bom futebol apresentado no time de aspirantes, falou sobre a expectativa para o Ba-Vi e espera, dessa vez, sair com o triunfo. Isso porque ele esteve no confronto válido pelo Campeonato Brasileiro de Aspirantes no passado, quando o Bahia perdeu por 3 a 1. Dessa vez ele, quer dar o troco.

“Expectativa é boa. Temos condições de fazer um bom jogo lá (Barradão) e sair com o triunfo. A gente acredita e vai atrás disso”, disse o Gustavo, que falou sobre jogar com apenas a torcida do Vitória no estádio: “De certo modo pode até ser vantajoso, porque a pressão vai ficar toda em cima deles. A gente tem total condições de ganhar lá, e é isso que vai acontecer, com fé em Deus”. Informações do Portal A Tarde.

Comentários no Facebook