O crescimento do setor de saúde na Bahia

Foto: Ilustração

Quando se fala em economia baiana, o que nos vem a mente é a indústria, o Polo Industrial de Camaçari, o agronegócio, com sua enorme variedade de produtos, o comércio e o turismo. Mas a economia baiana é muito mais complexa e diversificada e cerca de 70% do seu Produto Interno Bruto é gerado no setor de serviços. E nesse setor vem se destacando cada vez mais as atividades privadas relacionadas com a saúde da população. Estima-se, com base em uma aproximação dos cálculos da SEI – Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais, que o setor de saúde privada represente cerca de 2% do PIB da Bahia, o que significa que o segmento movimenta cerca de R$ 5,0 bilhões por ano.

Essa participação expressiva tem como justificativa a crescente demanda da população baiana por serviços médicos em todos os níveis, inclusive aqueles de alta complexidade. Essa demanda crescente é que justifica o alto nível de investimentos previstos para o setor de saúde, pois só em Salvador estima-se que serão aplicados no segmento um montante superior a R$ 300 milhões em reforma ou construção de novos empreendimentos. O setor de saúde privada em Salvador é um dos pilares da economia baiana gerando emprego e investimento.

O Grupo Rede D’Or São Luiz, por exemplo, a maior redes de hospitais do Brasil, viu a magnitude desse mercado e, após adquirir o Hospital São Rafael, comprou, através de uma operação de aumento de capital, 48% das ações do Hospital Cardio Pulmonar, investindo cerca de R$ 200 milhões na sua ampliação.

Já o Hospital Aliança tem investimentos previstos da ordem de R$ 25 milhões e o Hospital Santa Isabel está investindo R$ 45 milhões em modernização e equipamentos. No interior, cidades como Feira de Santana e Vitória da Conquista montaram parques médicos de alto nível, inclusive com serviços de média e alta complexidade, mostrando o dinamismo do setor.

E o mais interessante é que o setor de saúde na Bahia é diversificado apresentando uma multiplicidade de empresas, algumas com origem em outros estados, mas muitas delas criadas e estruturadas na Bahia e por baianos. Nesse sentido um bom exemplo é Labchecap – Laboratório de Análises Clínicas, o maior laboratório da Bahia uma empresa especializada em exames de laboratório e imagem que hoje é uma referência em qualidade. É uma empresa legitimamente baiana e já possui mais de 45 unidades, realizando mais de 10 milhões de exames por ano, atendendo a 800 mil clientes. A ação da empresa é marcada por uma trajetória de busca pela inovação e pela melhoria contínua dos serviços e foi com esse eixo que a empresa se consolidou como líder de mercado no segmento de medicina laboratorial.

Desde de que foi criado o laboratório vem expandindo sua atuação e nos últimos anos realizou investimentos que montam a 50 milhões de reais ampliando sua atuação e buscando oferecer aos seus clientes o que há de mais moderno no setor. Assim, passou a realizar exames de imagem de alta qualidade e a disseminar a vacinação no mercado baiano e vai investir nos próximos 18 meses cerca de 30 milhões de reais em novas instalações e na compra de modernos equipamentos.

O principal investimento será a ampliação de uma unidade no bairro de Brotas onde serão oferecidos serviços de análises clinicas, ressonância magnética, ultrassonografia, mamografia, Raio-X e outros e que vai se constituir em um moderno centro de diagnóstico de alta tecnologia. A escolha de Brotas para esse crescimento foi simbólica, não apenas porque é um dos bairros mais populosos da cidade e que não dispõe de serviço completo de diagnóstico de análises clínicas e imagem, mas também porque foi ali que o Labchecap iniciou suas atividades. E esse investimento vai viabilizar a implantação de um novo conceito de atendimento aos clientes, oferecendo serviços médicos de alta qualidade, mais próximo da população. Informações do Jornal A Tarde.

Comentários no Facebook