Pastor Adones destaca a importância da igreja em tempos de pandemia e no pós-coronavírus

A sociologia reconhece o papel das igrejas. Ela é responsável, por exemplo, pelo acolhimento e reinserção de pessoas que estão à margem da sociedade. Em tempos de pandemia, a atuação dessas instituições é imprescindível, já que as pessoas precisam de maior conforto psicológico e espiritual para enfrentar o Coronavírus, que tem feito várias vítimas.

”A igreja é de extrema importância, porque  consola, edifica, conforta e, fortalece, sejam seus membros ou qualquer outra pessoa que se aproxime dela. Esse protagonismo é muito importante nesses momentos de pandemia”, destaca o pastor Adones, da Assembleia de Deus em Camaçari.

Ele lembra que não somente nesse momento, mas em diversas situações, a igreja tem sido um lugar de abrigo.

Fechamento dos templos

Sobre a limitação de horários e até mesmo o fechamento dos templos em razão de decretos municipais e estaduais, o líder ponderou que “a igreja, edificada em Cristo, não se abala por nenhuma dessas dificuldades, mas quanto aos direitos de cidadania, eles sofrem sim, as pessoas sofrem, os membros sofrem”. E destacou que as igrejas são atividades essenciais em quaisquer circunstâncias e que não podem ficar fechadas.    

Pastor Adones relata, que mais uma vez, a igreja terá papel importante na reconstrução pós-pandemia. “Muitas pessoas vão recomeçar praticamente das cinzas, recomeçar do pó, recomeçar do nada, e a igreja mais uma vez terá uma tarefa inigualável de apoio espiritual e motivação em Deus para vencermos todos os desafios”.

Quanto ao distanciamento social dos fiéis, ele ressaltou a dificuldade em não poder estar perto dos irmãos:” é difícil para a gente, porque, como pastor, como líder, há dentro de nós um amor que é inexplicável. Quanto mais perto, a gente se sente melhor. É como como se houvesse em nós um manancial que jorra amor, amizade, fortalecimento, renovação, quando nós somos impedidos de fazer isso, é como se esse manancial estivesse sendo fechado, impedido de jorrar”, comparou.

Maior apego a Deus em meio à pandemia

Pastor Adones acredita que a pandemia do novo Coronavírus permitiu às pessoas um momento de reflexão sobre a vida, sobre o futuro, sobre o conceito e a importância de família e de se aproximar de Deus.

“A gente percebe que há um maior apego das pessoas a Deus, ao único Deus, o Deus da criação. Quando olhamos para as Escrituras percebemos que quando a nação de Israel estava super feliz, prosperando, abençoada, protegida vivendo em paz, logo ela se distanciava, partia pelo caminho da desobediência e ia para a idolatria, que era aquilo que mais desagradava a Deus, e por conta das decisões da Nação, o que acontecia? Vinham as pragas, vinham os sofrimentos, vinham as guerras e isso fazia com que o povo sofresse”.

“Só que quando o povo se sentia abatido, sem perspectiva, sem saída, ele retornava para Deus, decidia buscá-lo, e o Senhor foi sempre generoso para com a nação de Israel, e retornava a sua misericórdia para com a nação, e eles voltavam a prosperar”.

“Precisamos entender que as nossas decisões podem nos levar a esse distanciamento de Deus, e que vão gerar esses momentos desagradáveis, porém, é interessante que a gente entenda que Deus está sempre disponível para tratar com o seu povo”, enfatizou.

Atento às profecias bíblicas

O reverendo pontuou, ainda, a importância de se observar as profecias das Sagradas Escrituras. “É importante que a gente creia e pratique o que está escrito, para que possamos viver uma vida de tranquilidade, porque a comunhão com Deus nos transmite essa tranquilidade”.

E finalizou com uma mensagem de esperança: “Que Deus permaneça com a sua mão estendida sobre cada um de nós, para nos proteger e nos fortalecer para enfrentar todas as demais dificuldades que virão. Ninguém deve estar desatento, porque pode vir coisa pior que essa. Devemos estar sim preparados para quando vier, estarmos firmados nessa palavra: “quando passares pelas águas elas não te submergirão; quando passares pelo fogo, a chama não arderá em ti”, então teremos de estar firmados na palavra. Jesus disse que “passa o céu e passa a terra, porém as suas palavras não passarão”. Estejamos, então, firmes na palavra, porque a palavra de Deus é a verdade, ela é poderosa para agir em nossa vida seja em que tempo for. Um abraço a todos”.

Comentários no Facebook