Peritos identificam corpo através das plantas dos pés

Um menor, vítima de acidente de trânsito em Milagres, teve o corpo encaminhado para a Coordenadoria Regional de Polícia Técnica de Itaberaba a fim de ser identificado. O problema é que ele nunca havia tido uma cédula de identidade – e, devido aos traumas sofridos, o reconhecimento facial e o exame odonto-legal ficaram inviabilizados.

Inicialmente, apenas o DNA poderia confirmar de quem se tratava, entretanto, a equipe técnica, estudando outros métodos para a identificação, solicitou da família da vítima a impressão plantar, coletada no seu nascimento. Isto permitiu que os peritos técnicos Arlon Bitencourt e Fábio Andrade realizassem o exame de podoscopia (identificação das impressões das plantas dos pés) e pudessem identificá-lo.

Fábio esclareceu que este trabalho representa uma nova possibilidade de atuação na Regional de Itaberaba, garantindo, nestas circunstâncias, “muito mais rapidez na liberação de corpos”.

A papiloscopia forense (disciplina responsável pela identificação humana, através das impressões digitais, palmares e plantares) também foi responsável pelo reconhecimento de uma outra vítima, também no interior do estado. Uma pessoa, desaparecida há aproximadamente 15 dias, teve o corpo localizado na cidade de Bonito já em avançado estado de esqueletização.

Conduzida para a Regional de Irecê, foi identificado pelos peritos técnicos Jozinei Miranda e Ronival Fernandes, após passar por um processo de hidratação e posterior aquecimento do tecido do indicador direito.

Divulgação DPT-BA

“As condições do corpo não eram favoráveis, mas conseguimos recuperar um dos dedos e compará-lo com a ficha datiloscópica do Instituto Pedro Mello” afirmou Jozinei, explicando como chegou à identificação.

Fonte: Ascom | DPT

Comentários no Facebook