Pesquisa mostra que 43% das empresas baianas pararam de funcionar durante a pandemia do coronavírus

Durante a pandemia do coronavírus, 43% das empresas baianas paralisaram as atividades por funcionar apenas presencialmente, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Sebrae.

A mesma pesquisa mostra que 14% dessas empresas estão funcionando, porém não têm estrutura para atender digitalmente. Por outro lado, 31,6% dos negócios em funcionamento dispõem de ferramentas tecnológicas para operar.

A pesquisa, realizada em todo o Brasil, ouviu 10 mil empresários para entender a realidade dos micro e pequenos negócios no país.

A respeito do faturamento, 86% dos empresários observaram queda na receita durante a pandemia – apenas 2,3% registraram aumento. No Brasil, um número semelhante: 88% tiveram queda no faturamento.

Para driblar o período de isolamento social imposto pela Covid-19, as empresas estão apostando nas vendas online: na Bahia, 30% dos entrevistados afirmaram que começaram a utilizar as redes sociais para tal prática, enquanto 4% utilizam um site.

Apenas 7% dos empresários relataram que utilizam plataformas e aplicativos de vendas online.

Para compensar a queda no faturamento, 85,9% dos empresários entrevistados afirmaram ter buscado uma forma de crédito, sendo que 62% deles tiveram o pedido negado. Informações do G1.

Comentários no Facebook