Policial é preso e delegado afastado em operação que investiga tráfico na Chapada

Parte da droga apreendida em junho, em Seabra. Parte foi preservada, aponta investigação (Foto: Divulgação)

Um investigador foi preso e um delegado da Polícia Civil foi afastado do cargo por conta de uma operação conjunta entre a Corregedoria Geral da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA). Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta quarta-feira (2) nas cidades de Cachoeira e Seabra, na região da Chapada Diamantina.

Nessa nova fase, o objetivo é apurar a participação de policiais civis em crimes de tráfico e associação ao tráfico, lavagem de dinheiro, fraudes processuais e outros. Foram apreendidas armas de fogo, celulares e documentos referentes à compra de imóveis, segundo o corregedor-geral da SSP, Nelson Pires. Todo material recolhido será analisado para verificar se há ligação entre os servidores investigados e traficantes de maconha da região.

A polícia não divulgou os nomes ou onde eram lotados o investigador preso e o delegado afastado. Segundo o MP, dois outros policiais e um agente administrativo também foram afastados das funções.

O órgão diz que há indícios da prática de tráfico de drogas por policiais que trabalham na 13ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Seabra). Em junho do ano passado, uma investigação descobriu uma grande plantação de maconha na zona rural da cidade – a estimativa era de uma colheita que resultasse em 3 toneladas da droga. 

Os traficantes e os policiais, com intermédio de um empresário que tinha muita influência, combinaram uma propina de R$ 220 mil para que a droga apreendida não fosse totalmente incinerada. Assim, os policiais permitiram que parte da colheita ficasse com os criminosos, e ainda ajudaram a fazer o transporte com viaturas da polícia. O armazenamento foi em propriedade rural do empresário, antes da droga seguir para Salvador.

Deflagrada em abril deste ano, a operação teve na primeira fase dois outros policiais civis presos. Também foram detidos na ocasião um empresário e um quarto suspeito, flagrado com drogas. Informações do Correio*.