Redução do subsídio do governo com o metrô depende do reaquecimento da economia

A redução do subsídio pago pelo governo do estado para manter as operações do metrô em Salvador e em Lauro de Freitas depende do reaquecimento da economia, de acordo com o secretário estadual de Insfraestrutura (Seinfra) Marcus Cavalcanti.

“O subsídio do metrô a tendência é que vá diminuindo com o reaquecimento da economia”, explicou o titular da Seinfra nesta quinta-feira (16), durante participação na festa do Bonfim.

O governo da Bahia pagou, no ano passado, à concessionária CCR Metrô R$ 65 milhões, segundo dados solicitados pelo portal Bahia Notícias à Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). De acordo com a pasta, o valor, neste ano, pode dobrar. A projeção para 2020 é de R$ 121 milhões de subsídio, valor que leva em consideração o aumento da integração ônibus-metrô. Pelo contrato, a administração estadual é obrigada a pagar o subsídio quando a CCR não transporta um número mínimo de passageiros estabelecido no acordo. 

O secretário de Infraestrutura justificou que o sistema de transporte urbano de Salvador passou por uma crise que acabou com redução da atividade econômica. “Teve que fazer um TAC com o Ministério Público e a diminuição da atividade econômica fez a diminuição também das pessoas circularem, então o aumento de demanda fará com que naturalmente isso seja desenvolvido”, disse Cavalcanti sobre a possibilidade de redução do subsídio. Informações do Bahia Notícias.

Comentários no Facebook