Salvador: Prefeitura divulga plano de vacinação que acontecerá em quatro etapas

Foto: Ilustração

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, divulgou nesta terça-feira (12) o plano de imunização da capital baiana, que será dividido em quatro etapas, terá contratação de profissionais da Saúde por meio de Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) e escolta das vacinas. 

A previsão da prefeitura é de que sejam aplicadas 15 mil doses por hora. Além dos 9 drive-trhus, que o G1 já havia adiantado após entrevista com o secretário municipal de Saúde, 23 centros de vacinação e 73 institutos de longa permanência e asilos farão a vacinação.

A imunização também será aplicada em instituições hospitalares, nas pessoas que fazem parte dos grupos iniciais de vacinação e estiverem hospitalizadas, bem como nos domicílios, nos casos de pessoas acamadas na mesma situação. Pessoas em situação de rua também serão vacinadas.

Segundo o prefeito Bruno Reis, o processo de contratação do Reda será feito de forma simplificada, por análise de currículo. Os detalhes serão divulgados na quarta-feira (13).

Por enquanto, não há nenhuma vacina contra a Covid-19 aprovada no país. O Instituto Butantan entrou com o pedido de uso emergencial da chamada CoronaVac, desenvolvida em parceria com o laboratório Sinovac. Já a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) solicitou a aplicação emergencial do imunizante desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca.

Ainda segundo Bruno Reis, a prefeitura pretende começar a imunização entre 48 e 72 horas após chegada da vacina em Salvador. As doses serão escoltadas e haverá segurança nos locais de vacinação, para evitar ocorrências.

Fases da vacinação em Salvador

1ª fase

  • Trabalhadores da Educação;
  • População idosa com 75 anos ou mais;
  • Pessoas com 60 anos ou mais, que vivem em instituições de longa permanência, asilos ou instituições psiquiátricas;
  • Indígenas, aldeados, povos de comunidades ribeirinhas.

2ª fase

  • Pessoas de 60 a 74 anos.

3ª fase

  • Pessoas com comorbidades crônicas
  • Tranplantados
  • Obesos

4ª fase

  • Trabalhadores da educação;
  • Pessoas com deficiência severa;
  • Membros das forças armadas;
  • Membros das forças de salvamento;
  • Funcionários do sistema carcerário;
  • População em privação de liberdade;
  • Trabalhadores do transporte coletivo;
  • Trabalhadores rodoviários de carga. Informações do G1.

Comentários no Facebook