Salvador registra queda de 19,23% nos pagamentos do Seguro Dpvat

Foto: Reprodução

A cidade do Salvador teve queda de 19,23% nos pagamentos do Seguro Dpvat, saindo de 2.241 sinistros pagos em 2017 para 1.810 em 2018. Com a taxa, a cidade ficou entre as cinco primeiras capitais do nordeste que tiveram maior quantidade de solicitações aceitas do benefício.

A Bahia segue pelo mesmo caminho, com baixa de 15,15% nos pagamentos do seguro no mesmo período. No entanto, na série histórica dos últimos 10 anos, entre 2009 e 2018, a queda foi maior, ficando em 24,26%.

Já na contabilização dos sinistros pagos em casos de morte, a Bahia teve variação negativa de 2,27%. Nas categorias de veículos, o seguro pago em acidentes com carros de passeio tive queda de 28%, já os caminhões e pick ups o pagamento de seguros caiu 39,33%, micro-ônibus e vans sofreram baixa de 49,2%.

No entanto, os seguros pagos em acidentes envolvendo motocicletas e ciclomotores foram os que tiveram aumento entre 2009 e 2018. Enquanto os pagamentos do Dpvat para casos de motociclistas subiram 54,57%, os de ciclomotores teve alta de 3.700%.

Se for observado o tipo de vítima beneficiada pelo seguro, nos últimos 10 anos, houve aumento de pagamento a pedestres e motorista. Já os passageiros tiveram menos solicitações para custeio de despesas causadas por acidentes de trânsito.

Quanto à faixa etária, enquanto em 2009 o maior número de vítimas na Bahia tinha entre 25 e 34 anos, em 2018 os principais beneficiados tinham entre 45 e 64 anos.

Mas, a partir de 2020, todos os benefícios serão extintos, acontecendo o pagamento apenas dos custos de acidentes ocorridos até 31 de dezembro deste ano. Isso acontece, porque o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória para extinguir o Dpvat.

De acordo com o Ministério da Economia, a medida acontece para evitar fraudes ao Dpvat e eliminar os custos da supervisão do seguro por parte do poder público. “A Medida Provisória não desampara os cidadãos no caso de acidentes, já que, quanto às despesas médicas, há atendimento gratuito e universal na rede pública, por meio do SUS”, afirmou o Ministério da Economia em nota.

Qualquer pessoa que se envolva em acidente de trânsito, seja pedestre, passageiro ou carona, pode solicitar o seguro Dpvat, que cobre despesas médico-hospitalares e dá indenização por morte ou invalidez permanente. A vítima ou familiares dela podem pedir o seguro até três anos da data do acidente ou da ciência deste. Informações do Bnews.

Comentários no Facebook