Salvador registra queda de 54% nos casos de arboviroses; Bahia tem aumento de 8,3%

Foto: Ilustração

Enquanto Salvador apresenta uma acentuada queda nos casos de arboviroses nos primeiros meses de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021, a Bahia caminha na direção oposta. Na capital, houve uma redução de 54% no número de infecções por dengue, zika e chikungunya. Já no estado, houve um aumento de 8,3%. 

O levantamento, divulgado pelo jornal Correio, leva em conta o período de 3 de janeiro a 23 de abril deste ano. 

No interior da Bahia, a situação é alarmante. Ao menos 10 cidades estão em epidemia de dengue e outros 50 municípios em alto e altíssimo risco. 

Nesses meses, em que há a junção de chuva e calor, o ambiente se torna mais propício para a proliferação do Aedes Aegypti e o aumento de casos de arboviroses já é esperado. Porém, em algumas cidades baianas, houve uma disparada de casos, como Itabuna, que teve um aumento de 200% nos primeiros meses de 2022 em relação a 2021.

As dez cidades em epidemia listadas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) são: Urandi, Coaraci, Floresta Azul, Potiraguá, Apuarema, Mirangaba, Caatiba, Santa Cruz da Vitória, Remanso e Oliveira dos Brejinhos. Informações do Metro1.