Deputados baianos querem detectores de metais em unidades de ensino

A ocorrência de ataques a tiros em escolas, como o último massacre  no município de Suzano/SP, com dez mortes, levou o deputado  Samuel Júnior (PDT) a propor na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) uma medida drástica: tornar obrigatória a instalação de detectores de metais em todas as unidades escolares do estado.

“Antes da ocorrência das tragédias, urge a necessidade de adoção de medidas preventivas. A Bíblia Sagrada, muito mais que um livro especial, é a nosso manual de regra de fé e prática e lá, está anotado que: ‘aquele que sabe fazer o bem e não faz, comete pecado’. Em resumo, toda sociedade precisa adotar de todos os meios necessários para que tais tragédias jamais se repitam em nossa pátria”, argumentou Samuel Júnior, ao justificar a proposição.

O deputado lembrou que, para se ingressar em grandes empresas, faz-se necessário passar por detectores de metais. “Medida que visa proteger o patrimônio material e intelectual da empresa. Válida, e necessária”. Observou também que para se entrar numa aeronave, passa-se por detectores de metais visando impedir que alguém tome o avião e faça dele uma arma, assim como numa agência bancária.

“As empresas têm seus patrimônios. Os bancos têm o dinheiro. Nosso maior tesouro, entretanto, não consiste em bens materiais. O maior tesouro de uma família são seus filhos. Este tesouro fica à mercê de psicopatas que podem facilmente produzir grandes tragédias”, defendeu o pedetista. 

 
Samuel Júnior conclamou os deputados estaduais a aprovarem o projeto, e que seja com brevidade, a fim de preservar a vida dos estudantes. “Vamos prevenir tragédias. Façamos nossa parte. Foi para isso que o povo nos delegou essa obrigação”, concluiu ele, lembrando que “nossa nação tem sido manchada pelo sangue de inocentes vítimas de seres movidos pela maldade, loucura e forças das trevas tem ceifado nossos jovens e adolescentes”. 

Sandro Régis também apresentou proposta semelhante

As escolas, colégios, instituições de ensino, faculdades e universidades do Estado da Bahia ficam obrigados a instalar, nas entradas dos respectivos prédios, portas detectoras de metal ou manter funcionário com detectores de metais para revista. É o que dispõe o Projeto de Lei nº 23.132/2019, apresentado na Assembleia Legislativa pelo deputado Sandro Régis (DEM), que também pretende garantir nas escolas, através de uma porta auxiliar, o acesso da pessoa portadora de deficiência, obesos, gestantes, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção.


“Em tempos de extrema violência, onde os números das chacinas vêm numa crescente na Bahia e em todo o Brasil, é preciso, urgentemente, que o Poder Público e as demais instituições privadas – que recebam sob guarda as crianças e jovens –  garantam a segurança destes nos seus prédios”, justifica o parlamentar.


Régis esclarece que a iniciativa, se for aprovada pelos pares, vem dar efetividade ao art. 227 da Constituição Federal que estabelece como dever do Estado e da sociedade garantir às crianças e aos jovens brasileiros, além do bem-estar, deixá-las a salvo da violência e da crueldade. 
O democrata finaliza o documento argumentando que encaminhou a proposta para aprovação dos deputados na ALBA diante da relevância social do projeto de lei, que pode contribuir para diminuir os índices de violência nas instituições de ensino público e privado. 

Comentários no Facebook