Turquia condena 121 militares à perpétua por tentativa de golpe

Um tribunal de Ancara condenou à prisão perpétua nesta sexta-feira (26) 121 membros da Gendarmaria, força policial do Exército da Turquia, por participação na fracassada tentativa de golpe de Estado em julho de 2016.

O grande julgamento abrange 245 agentes da corporação, uma das ramificações das Forças Armadas que cumpre funções policiais em áreas não urbanizadas do país.

Os juízes impuseram dez prisões perpétuas agravadas ao coronel Erkan Öktem, considerado um dos principais organizadores do golpe, agora condenado por atentar contra a ordem constitucional e pela morte de nove pessoas.

Além disso, 85 acusados foram condenados à prisão perpétua agravada pelo crime de conspirar contra a ordem constitucional, outros 35 receberam a sentença de prisão perpétua simples pelo mesmo delito e 17 pegaram de 12 a 15 anos de prisão por “colaborarem com o golpe”.

Para completar, 23 pessoas foram condenadas a penas de 7 a 12 anos por “fazerem parte de uma organização armada”, em referência ao séquito do pregador exilado Fethullah Gülen, que é considerado pelo governo turco o responsável pela ofensiva.

Outros dez acusados estão sendo procurados com mandados de prisão, e os 74 restantes foram absolvidos.

Desde a tentativa de golpe, há três anos, os tribunais turcos julgaram milhares de supostos envolvidos. A cada semana são detidos suspeitos de envolvimento no incidente.

Ao todo, mais de 19,5 mil membros das Forças Armadas turcas foram expulsos por supostos vínculos com a rede de seguidores de Gülen, mais de 120 mil funcionários públicos foram exonerados e cerca de 50 mil pessoas estão presas. Da Agência EFE.

Comentários no Facebook