Ufba retoma as aulas nesta segunda-feira e emite nota sobre o coronavírus

O ano letivo na Universidade Federal da Bahia (Ufba) começou nesta segunda-feira (2), nos campi da instituição de ensino localizados em Salvador, Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, e Camaçari, na região metropolitana da capital baiana.

As aulas estavam em recesso desde dezembro de 2019, quando o semestre anterior foi finalizado. Atualmente, a instituição tem 45.922 mil estudantes matriculados, sendo que a maioria deles está em Salvador.

Com a volta às aulas, a universidade emitiu nota sobre o coronavírus. Até as 17h de sexta-feira (28), a Bahia registrou 24 casos suspeitos de Covid-19.

Apesar de não haver confirmação da doença no estado, a universidade recomendou, entre outras coisas, alguns cuidados com a higiene, por parte dos estudantes, professores e demais funcionários.

Campus da UFBA em Ondina, na capital baiana — Foto: Reprodução/ TV Bahia
Campus da UFBA em Ondina, na capital baiana — Foto: Reprodução/ TV Bahia

A universidade destaca que estão mantidas, normalmente, as atividades de ensino, pesquisa, extensão e assistência estudantil.

Informou ainda que a UFBA tem como base as informações e recomendações oficiais divulgadas pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS, ligada à Organização Mundial da Saúde), pelo Ministério da Saúde (MS) e pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Um grupo de trabalho coordenado pela administração central foi formado para monitorar diariamente a evolução do coronavírus e, em caso de agravamento do cenário atual, novas orientações poderão ser divulgadas.

Entretanto foi recomendado aos membros da comunidade universitária e aos visitantes que tenham chegado de viagem recente a algum dos países com registro de transmissão do novo coronavírus, e que estejam apresentando febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar, ou tiveram contato direto com pessoas com esses sintomas naqueles países, que procurem os serviços de saúde pública para notificação e orientação e assistência médica adequada.

Também por cautela, é solicitado a todos da universidade maior frequência de higienização das mãos, com água e sabão ou álcool gel – a ação mais simples e eficaz de prevenção – , para minimizar as condições de transmissão de gripes provocadas por quaisquer tipos de vírus, reduzindo assim as possibilidades de eventual disseminação do Covid-19 (coronavírus). Informações do G1.

Comentários no Facebook