Um mês após surgimento, doença que matou dois jovens em Salvador segue desconhecida

Um mês após morte de dois jovens no bairro de Paripe, em Salvador, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ainda não determinou qual “doença misteriosa” atingiu os jovens. Além deles, outras nove pessoas que apresentaram os mesmos sintomas passaram por análise médica.

Segundo boletim da SMS, divulgado na manhã desta terça-feira (3), as 11 pessoas apresentaram sintomas como febre, dor de cabeça e hemorragia. Todos são moradores da localidade do Alto da Muribeca.

A segunda vítima, Luan Bastos dos Santos, de 15 anos — Foto: Reprodução/BMD
A segunda vítima, Luan Bastos dos Santos, de 15 anos — Foto: Reprodução/BMD

Ícaro da Silva Duque, de 19 anos, e Luan Bastos dos Santos, de 15 anos, vizinho de Ícaro, morreram poucos dias após apresentar os sintomas. Eles chegaram a ser submetidos a exames laboratoriais realizados para dengue, zika, chikungunya, febre amarela, leptospirose e meningites, mas o resultado foi negativo.

Já as outras nove pessoas foram atendidas e passaram pelos mesmos exames que os dois adolescentes. Ainda de acordo com a SMS, duas foram diagnosticadas com dengue, uma com chikungunya e outro com zika. Além disso, um paciente foi diagnosticado com cálculo na vesícula. Não há detalhes sobre os outros cinco casos.

A SMS disse ainda que agentes de combate às endemias intensificaram o trabalho de controle do Aedes Aegypti no bairro, com visitas nas casas, drenagem de um córrego com auxílio de técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (SMA) e o bloqueio vetorial com aplicação de inseticida.Informações do G1.

Comentários no Facebook