Acidente em Guarajuba alerta para o aumento de casos envolvendo ciclistas

Um acidente envolvendo uma bicicleta e uma van, no Km 42 da Estrada do Coco, nas proximidades do supermercado GBarbosa deixou um ciclista ferido, no último sábado (30). Ao BNews, o condutor da van explicou que estava na pista de baixa velocidade, e que as fortes chuvas podem ter causado o acidente: “Se chocou no fundo da van, que vinha na pista de baixa velocidade. Chovia muito na hora, o que provavelmente dificultou a visibilidade”. O ciclista foi socorrido e levado para um Hospital em Lauro de Feitas.

Outra hipótese para o acidente é a de que o ciclista estivesse trafegando de cabeça baixa. Em Camaçari, a falta de espaços suficientes para o tráfego seguro, é comum, sem contar o desrespeito dos motoristas.

“Eu estava pedalando com um colega recentemente, era mais ou menos umas cinco e meia da manhã, a gente ia passando rápido pela Via Parafuso, tinha um carro querendo entrar no posto, qual era a dele? Diminuir a velocidade, esperava a gente passar, e entrava para o posto. Esse cara meteu a mão na buzina, jogou o carro por cima da gente, e gritou que ali não era lugar de bicicleta não, que era lugar de carro, você ver, a falta de educação dos motoristas”, declarou o jornalista Fernando Santana.

“Eu acho que devem ser implantadas mais pistas exclusivas para os ciclistas. A falta de atenção dos motoristas, no trânsito ainda é o maior problema de quem usa a bicicleta como meio de transporte aqui em Camaçari”, disse a ciclista Carol Gonçalves

“A câmara de vereadores deveria elaborar uma lei para que a educação no trânsito fosse implementada nas escolas. Falta uma fiscalização mais eficiente”, relatou o ciclista Celso Neves.

Outra ciclista também relatou uma experiência nada agradável enquanto pedalava com amigos na via Parafuso. Fernanda Oliveira, contou a nossa reportagem, que na Via Cascalheira, um motorista que vinha na contramão, jogou o carro para cima de um dos seus amigos, e como se não bastasse, os seguiu para tirar satisfação: “Ele não deu sinal de luz, não buzinou, não acendeu o farol, não deu sinal nenhum, jogou o carro em cima da gente, o colega quase cai da ribanceira, eu tive que jogar a minha bicicleta para a pista”, relatou.

Para o ciclista Galdino Souza, às vezes os acidentes são causados pela falta de educação do próprio ciclista: “às vezes você vê colegas que também estão vendo a faixa, onde, teoricamente é um direito dele de estar ali, que é uma faixa de segurança, e você vê o cara pedalando fora daquela faixa, que está ali exclusivamente para ele, fazendo absurdos, então é lamentável”, declarou.


Aumento no número de bikes exige mais conscientização

No Brasil, houve um aumento considerável da produção de bicicletas em 2018, de acordo com a ABRACICLO Associação brasileira dos fabricantes de motocicletas, ciclomotores, motonetas, bicicletas e similares), foram produzidas 24 mil unidades somente em novembro daquele ano, a estimativa para a produção para o ano todo, foi de 735 mil.

Aderir o uso da bicicleta como meio de transporte, sobretudo quando o motivo é melhorar a saúde, tem sido uma boa opção para quem curte pedalar, mas o grande problema que os ciclistas se queixam ainda, são as condições das vias exclusivas para os ciclistas, e do próprio trânsito que ainda não está preparado para o ciclista.

A Holanda é o país com o maior número de bicicletas por habitantes, são 17 milhões, portanto, lidera o ranking de países que adotaram a bike como meio de transporte. A cada 10 habitantes, 9, utilizam o veículo como meio de transporte. A Dinamarca e a Alemanha vêm logo na sequência, com os maiores números de bicicletas por habitantes.

Comentários no Facebook